Carro alegórico atinge rede elétrica e deixa quatro mortos em Santos

Ao menos outras seis pessoas ficaram feridas, segundo Corpo de Bombeiros; carro pegou fogo durante passagem da escola de samba Sangue Jovem

Zuleide de Barros, O Estado de S. Paulo,

12 Fevereiro 2013 | 11h23

(Texto atualizado às 14h45) SANTOS - Quatro pessoas morreram no início da madrugada de ontem, em Santos, quando um carro alegórico da escola Sangue Jovem, ligada ao Santos FC, bateu em um poste, quando já se encontrava no espaço de dispersão e pegou fogo, após atingir a rede elétrica. Três rapazes que empurravam o carro morreram carbonizados, enquanto uma jovem de 19 anos, que se encontrava na calçada de sua casa, olhando a movimentação junto com seus familiares, foi eletrocutada.

Momentos antes do acidente, a moça, identificada como Mirela Diniz Garcia, havia pedido para retirarem a filha, de três anos, do local. A mãe de Mirela ficou ferida, ao tentar fornecer os primeiros socorros à jovem. Ela está internada na Santa Casa de Misericórdia de Santos, com ferimentos nas pernas.

Outras cinco pessoas ficaram feridas e se encontram internadas. Elas não correm risco de vida, mas os médicos aconselharam que permanecessem 24 horas internadas para observação. A Sangue Jovem foi a primeira escola a desfilar na noite de segunda-feira na Passarela do Samba armada na Zona Noroeste de Santos. O carro alegórico que pegou fogo foi o último a desfilar pela escola. Ele fazia uma homenagem ao Rei Pelé e trazia o ex-craque Coutinho como um dos homenageados. Vinte e duas crianças e mais um adulto desfilavam em cima do carro.

Na área de desfile, ninguém desconfiava do acidente, a não ser pelo corte de energia, no momento em que a segunda escola se preparava para desfilar. Ao tomar conhecimento da ocorrência, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), determinou o cancelamento do desfile e pediu para que a população (cerca de 10 mil pessoas), de maneira organizada, deixasse as arquibancadas, o que foi obedecido de imediato. Os representantes das demais escolas, que ainda iriam desfilar, acataram a decisão e até fizeram uma oração para as vitimas.

Segundo informou a CPFL, concessionária de energia elétrica da região, uma descarga de 13 mil volts foi disparada assim que a coroa do carro alegórico encostou nos fios de alta tensão da rede elétrica. Com o acidente, o fornecimento de energia foi cortado na região, sendo restabelecido somente na manhã de ontem.

Dois dos quatro rapazes carbonizados tiveram seus corpos velados no Salão de Mármore do Santos FC, enquanto os outros dois foram velados em São Vicente, onde moravam. Os quatro jovens foram contratados para fazer o transporte dos carros alegóricos da agremiação.Por meio de nota, a direção do Santos FC lamentou a ocorrência: "o clube está solidário à dor dos familiares e amigos e informa que está oferecendo todo apoio a eles e à torcida, neste momento difícil". A Sangue Jovem empolgou o público com o tema que falou da cultura africana.

O presidente da Liga das Escolas de Samba de Santos, Heldir Lopes afirmou que vai reunir as demais escolas para decidir o que vai ser do Carnaval. "Nada mais importa. Vamos decidir com mais calma o que será feito", afirmou. Ele disse que ficou satisfeito com a compreensão dos demais diretores das escolas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.