Luis Cleber/AE
Luis Cleber/AE

Carro avança sobre manifestantes e mata um em Ribeirão Preto (SP)

Rapaz de 18 anos morreu no local e três pessoas ficaram gravemente feridas; motorista já foi identificado

Rene Moreira, de O Estado de S. Paulo,

20 Junho 2013 | 21h44

Atualizado às 23h50

RIBEIRÃO PRETO - A manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, acabou com a morte de uma pessoa, nesta quinta-feira à noite. Um motorista irritado com os protestos avançou sobre os manifestantes e atropelou 13 pessoas, matando um rapaz. Ele fugiu, sem prestar socorro. (Veja o vídeo abaixo) 

A Polícia Civil já identificou o autor do atropelamento. Morador de um condomínio de classe alta na cidade, ele não havia sido preso até o final da noite desta quinta. O veículo, um Land Rover, foi localizado pela polícia e levado para a perícia. Manifestantes filmaram toda a ação com celulares. Segundo a Polícia Militar, além do motoristas, estavam no carro uma mulher e uma criança.

O motorista avançou sobre um grupo de pessoas que participavam do protesto na esquina da Avenida Professor João Fiúsa com a Avenida Adolfo Molina, na zona sul de Ribeirão Preto. O estudante Marcos Delefrate, de 18 anos, que estava entre os manifestantes, morreu no local, antes de a ambulância chegar. Três pessoas tiveram ferimentos graves e precisaram ser levadas ao hospital. As outras atingidas sofreram apenas escoriações. O motorista fugiu, mas a placa e o modelo foram anotados pelas testemunhas do crime.

O protesto na cidade havia começado na área central e seguido pelas principais avenidas. No início, havia algumas centenas de manifestantes, mas atingiu 25 mil pessoas no seu ápice, segundo informações da Polícia Militar.

Bloqueio. De acordo com testemunhas, um grupo fechava um trecho da Avenida João Fiúsa, que fica em uma área nobre de Ribeirão Preto, quando ocorreu o crime. O veículo parou no bloqueio e foi cercado pelos manifestantes, que gritavam palavras de ordem. Após xingar e discutir com alguns integrantes do grupo, o motorista acelerou o veículo sobre os pedestres. Com o atropelamento, os protestos foram suspensos, pouco depois das 22 horas. Marcos Delefrate sofreu várias fraturas e traumatismo craniano.

 

Mais conteúdo sobre:
protestosribeirao preto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.