Carro-bomba é levado para o Deic

O automóvel Gol prata, que foi encontrado hoje pela manhã com 23 bisnagas de explosivos na altura do quilômetro 92 da Rodovia Anhanguera, próximo a Campinas, está sendo levado para o prédio do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), em São Paulo.De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública, os detonadores, que se encontravam no carro, foram desativados no início da tarde.Os cerca de 30 quilos de explosivos encontrados no veículos já chegaram ao Deic, escoltados por dois carros da unidade antibomba. O Grupo Especial de Resgate (GER), da Polícia Civil de São Paulo, confirmou a quantidade de explosivos encontrada dentro da valise no porta-malas do veículo. Segundo policiais do GER, o explosivo era do tipo usado em pedreiras para dinamitar pedras.A assessoria da Secretaria de Segurança confirmou que o carro foi descoberto a partir da prisão de Petronília Maria de Carvalho Felício, mulher do preso José Márcio Felício, o Geleião, um dos líderes do PCC. Petronília era investigada há meses pela polícia e foi presa em Presidente Bernardes, na sexta-feira, quando visitava o marido no presídio. A polícia suspeita que a prisão de Petronília acendeu o alerta vermelho entre o grupo do PCC, que organizava uma série de atentados nos quais os explosivos seriam utilizados. Por isso, a operação teria sido abortada e o carro abandonado na estrada, na madrugada de domingo. O caso será esclarecido em coletiva, convocada pelo delegado Godofredo Bitencourt, durante a qual Petronília será apresentada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.