Carro da PM atropela e mata menina de 6 anos no Rio

Criança andava de bicicleta com mãe e irmão, que também foram atropelados e estão em observação

Fabiana Marchezi e Clarissa Thomé, estadao.com.br e O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2008 | 13h55

Um carro da Polícia Militar atropelou e matou uma menina de 6 anos na noite de sábado, 5, na altura do quilômetro 26 da Rodovia Amaral Peixoto, em Maricá, Região dos Lagos. A mãe dela e o irmão de um ano também foram atropelados e estão internados no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói. O caso está sendo investigado pela 82.ª Delegacia de Polícia (Maricá).  Fabiana Figueiredo da Silva, de 25 anos, andava de bicicleta no acostamento da rodovia com os dois filhos, quando teria atravessado a pista, onde os veículos trafegam em alta velocidade, e foi atropelada pelo carro da 4.ª Companhia da Polícia Militar de Maricá. Fabiana e o garoto foram socorridos por uma ambulância do Corpo de Bombeiros e levados para o Hospital Conde Modesto Leal, em Maricá.  De lá, mãe e filho foram transferidos para o Azevedo Lima. Eles estão internados em observação, ambos no setor de trauma do hospital, que não divulgou que tipo de ferimentos sofreram.O corpo da menina foi levado para o Instituto Médico Legal, de Itaboraí. Ela foi enterrada às 16 horas deste domingo, 6, no Cemitério de Maricá.  A assessoria de imprensa do Palácio Guanabara informou que a Corregedoria da Polícia Militar foi acionada para investigar o caso. Já a assessoria de imprensa da PM disse que a corporação vai aguardar a conclusão da investigação feita pela 82.ª DP para que "as causas do acidente sejam esclarecidas e as providências cabíveis tomadas". Convulsão Cinco pessoas ficaram feridas sem gravidade depois que um motorista de ônibus sofreu uma convulsão ao volante do veículo, na Avenida Francisco Bicalho, no centro, nesta manhã. O ônibus da viação Estrela Azul bateu em árvores, chocou-se contra uma van de passageiros, rodou na pista e subiu o canteiro, ficando sobre gelos baianos. Os cinco feridos foram socorridos por ambulâncias do Samu e do Corpo de Bombeiros e liberados depois de terem recebido atendimento no Hospital Municipal Souza Aguiar. O motorista Denílson do Nascimento também recebeu alta. Atualizado às 16h50

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de JaneiroPolícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.