Carro de juíza assassinada em Niterói passa por perícia

Magistrada foi morta quando chegava em casa; imagens de camera de segurança serão analisadas

Tiago Rogero , estadão.com.br

12 Agosto 2011 | 08h44

RIO - O carro onde estava a juíza Patrícia Acioli, assassinada no início da madrugada desta sexta-feira, 12, quando chegava em casa em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, já passa por perícia na Divisão de Homicídios (DH) da Polícia Civil na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade. Apesar de Niterói também contar com uma DH, o caso foi transferido para a capital fluminense a pedido da chefe da polícia civil, delegada Martha Rocha.

A casa onde morava a juíza é monitorada por câmeras. Um computador com as imagens gravadas também foi levado à DH, na Barra. Patrícia comandava a 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, na Região Metropolitana. O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, desembargador Manoel Alberto Rebelo dos Santos, esteve no local do crime e admitiu que a magistrada vinha sofrendo ameaças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.