Ulisses Sousa
Ulisses Sousa

Carro estava em barco no PA; dono mentiu ao declarar somente 2 passageiros antes da viagem

Embarcação estava irregular e proprietário, Alcimar Almeida da Silva, já havia sido notificado em junho passado, mas continuou a atuar

Carlos Mendes, Especial para o Estado

25 Agosto 2017 | 14h24

BELÉM - Um automóvel foi encontrado por mergulhadores do Corpo de Bombeiros do Pará dentro do barco que afundou nesta terça-feira, 22, entre os municípios de Porto de Moz e Senador José Porfírio, no sudoeste do Pará, deixando um saldo de 23 mortos, 27 sobreviventes e dois desaparecidos. Antes da partida, o proprietário da embarcação Alcimar Almeida da Silva mentiu para a Marinha ao declarar que somente dois passageiros haviam entrado.

O balanço do acidente foi atualizado na manhã desta terça pelo governo do Estado. Nesta manhã, equipes de resgate encontraram os corpos de duas crianças, elevando o número de mortes de 21 para 23. O  transporte do automóvel era proibido para este tipo de embarcação. 

Segundo autoridades portuárias, o carro poderia ser transportado somente por balsa e não em uma embarcação destinada exclusivamente a passageiros. Silva também não tinha autorização da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon-PA) para fazer transporte de passageiros e já havia sido notificado em junho passado pelo órgão, mas continuou  a atuar. 

O dono mentiu ainda para a Marinha, em Santarém, ao declarar que havia apenas dois passageiros no barco. 

Mais conteúdo sobre:
Porto de Moz [PA]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.