Carros e gatas

A alegria dos fanáticos por quatro rodas já começa no caminho para o Salão do Automóvel, já que eles são obrigados a passar horas dentro de seus maravilhosos carros enfrentando os tradicionais congestionamentos da Marginal até chegar ao Anhembi. Lá dentro, será a vez de driblar o tráfego intenso... de gente. Vai faltar semáforo para organizar as 600 mil pessoas que lotarão o evento. Ao entrar no pavilhão, lembrei por que o Salão faz tanto sucesso entre o público masculino: as belas garotas nos estandes. Cada uma segue o ?design? do carro que está divulgando: esportivos exigem minissaias, carros de luxo pedem vestidos de noite e caminhonetes vão bem com chapéus e shortinhos de safári - tudo a ver com São Paulo, uma cidade onde o trânsito é selvagem. Segundo um amigo meu, a idéia de juntar carros e mulheres bonitas no mesmo lugar tem o objetivo de ?unir o útil ao agradável?, embora eu não tenha entendido exatamente o que ele quis dizer. (Mas que ele está certo, ah, isso está.) Nem todos os homens paqueram as garotas, mas alguns são tão otimistas (e sem noção) que nem se importam com a platéia em volta. Foi assim que ouvi sem querer a seguinte cantada, após a garota explicar que o carro em questão vinha com sete airbags. "Ele tem sete airbags para proteger as suas sete vidas: você é uma gata." Juro que eu não inventei isso. Quando o cara foi embora, perguntei para a garota qual era seu carro favorito. Ela me apontou um 4 X 4 que poderia facilmente servir de tanque se por acaso o Brasil entrasse em alguma guerra. "É bom para levar a família", ela explicou. "Quantos filhos você tem?", emendei, imaginando a garota no volante e uma classe inteira do jardim da infância no banco de trás. "Imagina, eu nem sou casada." Será que se eu comprar o tal carro ela começa uma família comigo? Depois de olhar os carrões de longe, tomei coragem e entrei em um deles. Não sei por que, mas aquele tradicional cheirinho de carro novo é ainda mais gostoso quando esse carro novo é um Porsche 911 Carrera Targa 4S. Mas graças a Deus a chave não estava no contato, ou eu teria colocado em primeira e atravessado a janela do Anhembi. Perguntei o preço só por curiosidade: até que nem era muito mais caro que meu... apartamento. Sou fanático por carros, mas ainda acho que minha casa é um pouco mais confortável para viver do que a minha garagem. Principalmente depois de sair do Salão do Automóvel e pegar um trânsito daqueles na Marginal.

Felipe Machado, O Estadao de S.Paulo

30 Outubro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.