Carta do PT pede a empresários doação para a campanha

A equipe da presidenciável Dilma Rousseff vai enviar cartas a empresários pedindo contribuições para a campanha. Nos três modelos já redigidos, o tesoureiro José de Filippi Jr. recorre às "realizações" do presidente Lula, na tentativa de angariar recursos.

, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2010 | 00h00

O primeiro modelo se destina a empresas que doaram para a campanha da reeleição, em 2006. O segundo tipo é para as que foram procuradas, mas se recusaram a contribuir e o terceiro, para novas companhias.

O PT enviará as cartas para 385 empresas e espera arrecadar R$ 157 milhões. Nos textos, redigidos com ajuda do marqueteiro João Santana, Dilma é definida como "candidata à sucessão do presidente Lula para dar continuidade à transformação do País que ele iniciou". O último parágrafo diz: "Contribuir para o processo eleitoral é uma forma concreta de o dirigente empresarial influenciar no aprimoramento da política".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.