Carta era de "muito ódio", diz prefeito ameaçado

O prefeito petista Marco Aurélio de Souza, de Jacareí, no Vale do Paraíba, voltou hoje ao trabalho. Ele havia tirado uma semana de licença, depois de receber uma carta com ameaças de morte um dia antes da descoberta do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), ocorrida no dia 20 de janeiro. Segundo ele, a correspondência, manuscrita e jogada na porta da sua casa, fazia ameaças de morte e tinha "um tom de quem está com muito ódio, muita raiva", disse. "Desta vez, a pessoa não se identificou como membro da Farb, apenas fez ameaças".No ano passado, Marco Aurélio já havia recebido uma carta da suposta Farb, sigla da entidade clandestina Frente de Ação Revolucionária Brasileira, que teria enviado cartas e-mails com ameaças a parlamentares e prefeitos petistas e reivindica o assassinato do prefeito de Campinas, Antonio da Costa Santos, morto em 10 de setembro do ano passado.Na cidade de Taubaté, o vereador Jofre Neto, também do PT, registrou um novo boletim de ocorrência; desta vez, por invasão a domicílio. Na quinta-feira passada, ele havia recebido uma ameaça, por telefone, de uma mulher, se dizendo da Farb, afirmando que ele ?estava com os dias contados e logo alguém iria dar cabo? dele. Na noite de sábado, dois dias depois de receber o telefonema, ao chegar em casa percebeu que uma das janelas tinha sido arrombada. A polícia militar fez uma vistoria e percebeu que nada fora roubado. "A situação é preocupante, não só a dos políticos, mas de toda a população", afirmou Neto.As polícias de Jacareí e Taubaté investigam as ameaças, mas não têm pistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.