Carta pode indicar assassinos de prefeito de Campinas

A guarda municipal de Campinas encontrou uma carta manuscrita que teria indicações acerca do assassinato do prefeito Antonio da Costa Santos. Essa carta foi encontrada na sexta-feira, em um telefone público, no bairro Swift. Os guardas foram informados por denúncia anônima e entregaram a carta ao chefe da corporação Péricles Caramaschi, que a repassou para o delegado seccional que esta investigando o caso, Osmar Porcelli. O conteúdo da carta foi mantido em sigilo mas, segundo o delegado, ela sugere pistas para a investigação. Na sexta-feira à noite, o secretário de Assuntos Jurídicos da prefeitura, Nilson Lucílio, disse que está desaparecido um dossiê que Toninho havia produzido. Esse dossiê não foi encontrado em nenhum local e Lucílio acredita que ele tenha desaparecido do carro do prefeito na noite do crime. O secretário afirmou que o dossiê incrimina uma pessoa, mas não ofereceu mais detalhes.Nesta segunda ou terça- feira, o delegado ouvirá a família de Toninho, em busca de maiores informações sobre esse dossiê. Lucílio prometeu também entregar à polícia um relatório completo sobre o conteúdo desses papéis desaparecidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.