Cartas

Carta 19.595 Atendimento da tevê a cabo Cansei de ver a propaganda que as tevês por assinatura puseram no ar suplicando aos clientes que se pronunciem contra o projeto de lei que exigirá que 50% da programação seja nacional. Na verdade, acho que deveria haver um projeto de lei que garantisse o bom atendimento ao cliente pelas operadoras. Quis recentemente comprar alguns filmes da minha operadora (DirecTV/SKY) mas não pude, porque a operadora agora só disponibiliza o formato widescreen, e a atendente ainda informa que se pode ver os filmes sem problemas, ?só que os rostos das pessoas são cortados?. Então eu deveria pagar só metade, pois só vou ver metade do filme... Os atendentes não têm nenhum preparo; às perguntas sobre os filmes, respondem que a SKY ?não é responsável pelos filmes do Cine SKY (pay-per-view)?. Mas quem vende o produto? Com quem devo falar? Devíamos pedir uma lei que garanta o nosso direito de ter as reclamações atendidas e de dispor de pontos para contato com o cliente. É muito fácil, quando não se quer ouvir o que o cliente diz, desligar na sua cara, como já me aconteceu em inúmeras ocasiões. MÔNICA HAMADA Capital A SKY responde: "O nosso objetivo é atender a todos os clientes o mais prontamente possível. No dia 25/3 uma funcionária da empresa contatou d. Mônica e desculpou-se pelo transtorno. O atendimento descrito foge aos padrões da empresa. E esclarecemos, ainda, que os filmes em pay-per-view são transmitimos no formato que a programadora nos põe à disposição." Carta 19.596 Difícil atendimento Desde 14/3, a TVA oferece alguns canais a mais na sua programação. Me interessei e pedi adesão a esses canais nas três tevês da casa; duas estão com o sinal ok, mas uma delas está sem sinal. Desde então tento falar com a TVA, que passa informações desencontradas, e até hoje (19/3) não resolveu o problema. Agora disseram que no dia 24 o técnico virá, e que os dias que fiquei sem sinal serão descontados do total. Acho um absurdo uma empresa do porte da TVA levar tanto tempo para resolver um caso simples. MARCELO BALLOTI MONTEIRO Campos Elíseos A TVA responde: "Após visita técnica, as imagens estão no padrão oferecido pela TVA. O cliente está ciente do valor da nova mensalidade. A TVA permanece à disposição para mais esclarecimentos." No dia 18/2, contatei a NET para pedir o cancelamento do NetFone+NetTV, e marcaram uma visita no dia 25 para o técnico retirar os equipamentos. No dia, ele veio mas retirou somente o equipamento do NetFone. Quanto à NetTV, ele disse que o contrato precisaria ser alterado, e que eu ligasse em 5 dias úteis para marcar a nova retirada. Agora, sempre que ligo para a empresa dão uma informação diferente, além de esperar 30 minutos cada vez. Hoje é 4/3 e não consigo cancelar o contrato nem marcar a retirada dos demais aparelhos. GERSON CORDEIRO - Pirituba A NET responde: "Contatamos o cliente em 28/3 e confirmamos o cancelamento do sistema de TV e Netfone via Embratel. O aparelho foi retirado dia 31." O leitor confirma a retirada no dia 31, mas comenta que a Net "só resolveu o caso por interferência do jornal", a quem ele agradece o serviço de ajuda ao consumidor. Não há uma lei que proíba o spam telefônico? Nesta semana (carta de 20/3) recebi 5 ligações da Sky oferecendo uma promoção, e a vendedora ficou indignada porque eu não quis ouvir as condições. Pedi para sair da lista do telemarketing e ela disse que ?não é possível?, pois são muitos números e ela não teria como fazê-lo. Tem alguém que regule esses abusos? A Anatel? O Procon? Peço ajuda para sair dessa lista. PABLO FERRARI Capital A SKY responde: "Um dos nossos objetivos é atender todos os clientes o mais prontamente possível. No dia 28/3 uma funcionária contatou o leitor e esclareceu que o Televendas SKY não faz contato ativo para adesão. Pedimos ao sr. Pablo que nos encaminhe nome e telefone da empresa, para podermos auxiliá-lo caso haja novo telefonema." O leitor confirma que a Sky o contatou e informou que não faz telemarketing direto, que deve ter sido outra empresa, que vende para a Sky. Ele comenta: "Chama a atenção que a Sky não saiba identificar a empresa; deveria haver uma lei contra o spam telefônico, conhecido como telemarketing.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.