Cartas

Carta 19.633 Animais nas ruas da cidade Quem se preocupa com animais maltratados e abandonados quer saber como está o projeto que proíbe a matança de animais de estimação. Enquanto demoram a tomar uma atitude, aumentam o número de cães e gatos nas ruas e o descaso com a saúde pública. E se pessoas são tratadas assim, com os animais é pior. É um absurdo o País não erradicar tuberculose, dengue, febre amarela e leishmaniose visceral (doença de cães transmissível ao homem que cresceu 61% nos últimos anos). Acrescente-se a isso a sarna branca e negra que atinge os animais abandonados. Uma coisa leva a outra e vira bola de neve, pois o aumento do abandono de animais leva protetores solidários a concentrar animais em canis sem condições, tendo de angariar fundos. Até a UIPA sofre dificuldades. Falta das autoridades uma política sanitarista, é questão de saúde pública! Creio que deveria haver um trabalho eficaz de castração e punição a maus-tratos e abandono, além de campanhas de adoção. Como é que o Brasil pode estar em desenvolvimento, se problemas básicos de saúde não são resolvidos? Se faltam informação e educação? O cidadão tem de ser conscientizado sobre higiene e cuidados com o ambiente, para poder ajudar no combate às doenças contagiosas. Somos cúmplices desses problemas. Respeitar o ambiente é respeitar a si próprio, pois limpeza e higiene caminham juntas e evitam os problemas a que assistimos atualmente. Infelizmente, não há uma política em favor dos animais de rua, nem propaganda na mídia para adotá-los, nem punição para quem os trafica ou maltrata. REGINA TELES - Santa Cecília A Secretaria Municipal da Saúde responde: "A superpopulação de cães e gatos é um problema que afeta a maioria dos países e a solução não é simples (há mais animais do que lares para recolhê-los). O Centro de Controle de Zoonoses/Coord. de Vigilância em Saúde da SMS, adota as medidas que estão ao seu alcance. Em 2001, criamos o Programa Saúde Animal, apoiado em 4 pilares: educação em posse responsável, esterilização em massa de cães e gatos, registro de animais e adoção responsável. Desde 2002, há o projeto Para Viver de Bem Com os Bichos, para ensinar aos donos de cães e gatos o manejo adequado do ambiente para controle da fauna sinantrópica (até 2007, ele capacitou 1.486 escolas municipais, estaduais e particulares de ensino fundamental, com 2.500 educadores que alcançaram 180 mil alunos. A educação continuada é mais efetiva do que campanhas educativas momentâneas e aproveitamos todas as oportunidades oferecidas pela mídia para informar a população. Por meio de convênio com entidades de proteção animal, a SMS subsidia cirurgias de esterilização em cães e gatos. De out/2001 a dez/2007, fizemos 159.103 cirurgias de esterilização (57% em cães e 43% em gatos). A cidade tem legislação específica de punição a maus-tratos que embasa a punição dos responsáveis, havendo necessidade de grande envolvimento da população. A questão do abandono é grave, e o controle da natalidade por esterilização e o encaminhamento de animais para lares responsáveis é uma das poucas saídas para diminuir a eutanásia. São Paulo teve os últimos casos autóctones de raiva humana e canina em 1981 e 1983, assim a doença foi controlada. Medidas efetivas de vacinação contra raiva, vigilância epidemiológica, cobertura de foco de raiva, apreensão e eliminação de animais errantes e exames laboratoriais deram o suporte necessário, conforme recomendações da OMS, ministério da Saúde e Comissão Est. de Controle da Raiva. Nestes 20 anos, a relação homem/animal se intensificou e os valores mudaram (a OMS recomenda tratar toda forma de vida com ética), mas muitos abandonam animais nas ruas e em portas de instituições públicas e privadas; alguns dão abrigo provisório, alimento e água, outros pedem a retirada dos animais. O cicloé nterminável, já que a retirada não demonstra um resultado efetivo para controlar o aumento deles. Há pessoas que assumem um cão ou gato como se fosse um bem descartável. O abandono de animais de estimação tem proporções incontroláveis, renovando as populações de animais soltos nas ruas. O CCZ busca soluções, mas não há como reverter essa situação enquanto os donos não tomarem para si as responsabilidades." PARA SUA INFORMAÇÃO: O governador José Serra sancionou lei que proíbe a eutanásia em animais saudáveis nos 645 municípios de São Paulo. A medida já está em vigor. Cabe aos municípios realizar ações de castração e adoção para bichos em boas condições de saúde. Segundo a lei, nem animais ferozes, como pit bulls, poderão ser sacrificados. Antes, eles deverão ser ?socializados? e colocados para adoção. Se não der certo, poderão ser mortos após 90 dias. (Caderno Metrópole do dia 18)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.