Cartas

Carta 19.672O que mais é preciso?!Na Rua Bresser, entre Rua dos Trilhos e Taquari, na Mooca, a Pça. Maria Cândida tornou-se ponto de encontro para consumo de drogas. Na madrugada, carros param lá para ouvir músicas, em alto volume, de apologia às drogas e ao PCC. Ligamos para o 190, mas nada acontece, e temos de esperar a ?festa? acabar para dormir. Em 5/4, o cheiro de maconha invadia tudo. A rua, próxima à Uni São Judas, é cheia de bares; eles não incomodam, o problema é um carro que fica parado no bar Galpão Mooca. Peço providências para que as noites de 6.ª e sábado sejam de descanso, não de martírio.JULIANA TORSELLIMoocaA PM responde:"A ocorrência se enquadra no art. 42 da Lei das Contravenções Penais e art. 228 e 229 do CTB. Para formular queixa, é preciso que a vítima acompanhe os PMs ao DP, para que o delegado tome providências, de acordo com a lei. Se a vítima não quiser ir ao DP, uma viatura irá ao local resolver a ocorrência. O policiamento da região é feito pela 3.ª Cia. do 11.º Bat. PMMetropolitano pela rádio-patrulha, Polícia Comunitária, Ronda Escolar, Polícia de Trânsito, Rocam e Força Tática. Com reforço da Operação Direção Segura e Operação Fechamento de Bares, em parceria com o Psiu. Para melhorar o policiamento, deve-se registrar ocorrência e dar informações sobre delitos pelo 190, 0800-0555 (Disque PM), www.polmil.sp.gov.br (Fale Conosco) e 181 (Disque Denúncia)."N. da E.: admira-nos a resposta, dado que a própria carta já se constitui em denúncia, nos termos acima. E o Psiu? Carta 19.673Na Sub Vila MarianaEm jun/07 escrevi à coluna sobre dois terrenos na Rua José de Magalhães, depósitos de apreensão da Prefeitura. A Sub Vila Mariana respondeu que os bens são retirados periodicamente e que a Vigilância Sanitária faz vistorias regulares, e um ou dois meses depois os terrenos começaram a ser limpos. De um deles o entulho foi retirado, o outro foi parcialmente limpo, e a feira das 4.ªs feiras foi transferida para outra rua. Daí emprestaram o terreno maior para uma empresa que reformava os corredores de ônibus das Ruas Borges Lagoa e Pedro de Toledo; foram meses de muito barulho e poeira, mas sabíamos que o incômodo era temporário. O terreno menor continuou recebendo as apreensões, mas ordenadamente e por pouco tempo, à exceção dos carros (hoje, 3/4, são 19). Terminada a obra, o terreno grande ficou limpo e vazio e o menor em ordem até semanas atrás - mas agora o grande voltou a ser usado para despejo de bancas de jornal e o menor, além de carros, abriga uma dezena de carrinhos de lanches e pipoca e placas de lançamento de prédios. Um funcionário da sub disse que estão providenciando um galpão para guardar os carrinhos mas precisam de mais tempo para os carros. Nada foi retirado. No boleto do IPTU há um alerta sobre cuidados para evitar a dengue. Será que o entulho dos terrenos não é um ótimo berço para as larvas do mosquito? CAMILA M. G. B. de TOLEDOVila ClementinoA Secr. Mun. Saúde responde:"O terreno é monitorado pela Vigilância Ambiental Jabaquara-Vila Mariana. No dia 8/4, uma equipe da Supervisão de Vigilância em Saúde Vila Mariana vistoriou o local e fez controle químico com larvicida e manejo ambiental. Prestaram-se as devidas orientações e uma nova vistoria foi marcada para verificar se as providências foram cumpridas. Estamos em contato com a sub, para tomar as soluções em conjunto."A Sub Vila Mariana responde:"O terreno usado como depósito para as apreensões feitas pelo setor de fiscalização é regularmente limpo. As placas são retiradas a cada 15 dias e encaminhadas ao Ecoponto Mirandópolis; os carrinhos usados para comércio irregular são removidos do local após 30 dias. Os carros, antes de serem removidos, passam por processo administrativo. A Zoonose, responsável pela inspeção, atestou em sua última vistoria, em 30/4, que o local está livre de contaminações. O acúmulo de materiais no terreno reflete o esforço da subprefeitura em fiscalizar e impedir o descumprimento à Lei Cidade Limpa. Nossas equipes apreendem semanalmente cerca de 250 faixas irregulares, por meio do Caça-Faixa, pequeno caminhão cedido pela Zoonose, que foi adaptado para percorrer as ruas da região periodicamente e atendendo às denúncias feitas por munícipes. Todos os dias recolhemos barracas de ambulantes e materiais (como isopor e carrinhos) e organizamos operações fiscalizatórias com o intuito de barrar o comércio de ambulantes nos distritos da Vila Mariana."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.