Cartas

Hoje, 10/6, na frente do Colégio Doze de Outubro, Rua Com. Elias Zarzur (Sto. Amaro), havia três carros da Ronda Escolar multando os pais. Concordo que muitos param em fila dupla e devem ser punidos, mas não deveriam multar quem pára ao lado do meio-fio ao deixar ou pegar os filhos na escola. As placas de sinalização são contraditórias. A CET deveria pintar faixa de pedestres, ver os erros de placas e atualizar a sinalização de permitido estacionar no horário de entrada/saída. Segundo o site da PM, a Ronda Escolar é um programa de policiamento cujo objetivo é proteger os estabelecimentos de ensino e a comunidade escolar, mas há algo errado se proteger é sinônimo de multar. No Colégio Objetivo (Rua Henry Dunant, Chácara Sto. Antônio), nunca vi uma viatura da ronda, mas os pais param em fila quádrupla. Se a Ronda fizesse o seu papel, o Doze de Outubro não mandaria circular alertando os pais para o crescente números de assaltos na região. CHRISTIANE C. SALVATORECapitalA PM responde:"O comando do policiamento da região contatou a leitora e explicou como funciona o sistema de segurança. Como ela viu, havia policiamento no local (área considerada de interesse de segurança pública). Quando o PM vê uma infração, é obrigado a tomar medidas, sob pena de prevaricação; como a leitora viu, havia pessoas paradas em fila dupla e multas foram aplicadas. O policial da Ronda Escolar, como qualquer outro do programa, é competente para fiscalizar o trânsito. Nosso site: www.polmil.sp.gov.br." Carta 19.802Paulicoop: é golpe? Em 30/3/96, meu marido adquiriu uma unidade no Condomínio Flamboyant, empreendimento Paulicoop na Vila Yara, Osasco. A entrega era para ser em set/2000, mas até hoje (28/5), nada. Diz a Central de Atend. que as obras terão início apenas em 2011! Quitamos o imóvel em 2007 mas, por não ter onde morar, estamos pagando aluguel, à espera de que o almejado imóvel seja entregue. A Central Vendas nos fez uma proposta indecorosa: devolver 90% do valor em 12 vezes sem juros, a partir do 2.º sem. de 2009. E avisaram que teríamos de ir todo mês ao escritório de Alphaville retirar o cheque. Um absurdo! Queremos permuta por outro imóvel ou devolução imediata do valor corrigido.CLÁUDIA DIASCapitalCarta de 28/5, sem resposta. Em 26/11/00 minha mulher comprou um apartamento da Paulicoop no Residencial das Américas, em Guarulhos, com previsão de entrega do último bloco em 2002, mas em 2006 ainda não havíamos recebido o imóvel. Pensei que se trocasse de etapa eu o receberia antes, então em 28/10 entrei no sorteio das unidades do último prédio; fui sorteado e escolhi o apartamento. A Paulicoop informou que o imível seria entregue em 6 meses, mas não o recebi e parece que a obra está paralisada. Pedi ao mestre de obras para visitar o local, e ele me disse para pedir ordem à empresa, e que alguns associados já o haviam feito, mas a cooperativa não autorizou, nem soube explicar a razão da demora.Pedi para falar com a diretoria ou conselho fiscal, mas não pude; daí pedi o balanço patrimonial geral e a data das assembléias, de novo sem resposta. Segundo o Estatuto Social, art. 15: ?São direitos do associado: I-Tomar parte nas assembléias gerais e seccionais; (...) V-Pedir à Diretoria esclarecimentos sobre as atividades da Cooperativa, podendo consultar (...) o relatório da diretoria, o balanço-geral e o parecer do conselho fiscal?. Com dificuldade, pago em dia as parcelas (já paguei 65% do total) e tenho de pagar aluguel, pois a Paulicoop não entrega o apartamento nem diz a data de entrega. Pedi informação por escrito da data de entrega, datas das assembléias, situação financeira da Paulicoop, razão da demora da entrega, qual a porcentagem de cooperados que estão depositando os pagamentos em juízo, bem como cópia do balanço-geral e autorização para visitar a obra em 10 dias, sob pena de tomar medidas legais, dentre elas protocolar denúncia no Ministério Público do Consumidor SP, já que as parcelas são enviadas normalmente para casa. Mas como poderei continuar cumprindo a minha obrigação se a Paulicoop não cumpre a sua? Daqui a algumas parcelas terei quitado o imóvel, como os outros associados, sem ter recebido o apartamento. Muitas famílias foram prejudicadas em Guarulhos, Osasco, Santo André e Praia Grande, onde as obras podem estar paradas também.EDER WILSON DE CAMPOSCapitalCarta do dia 6, também enviada à Paulicoop, também sem resposta.Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.