Cartas

Placas menores e mais adequadas: por uma cidade mais bonita

O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2002 | 00h00

Numeração de casas e lojasApesar da polêmica, as determinações para eliminar a poluição visual na cidade passaram a vigorar, reduzindo a publicidade externa dos estabelecimentos. Para nós, a identificação dos locais tornou-se mais difícil, dependendo quase que só da numeração dos imóveis. Que, como se sabe, é aleatória, e fica freqüentemente escondida por trás de vegetação ou anteparos. O motorista que precisa localizar algum imóvel, especialmente à noite, é obrigado a desviar a atenção da direção, com risco de acidente ou assalto. Sugiro que a Prefeitura estabeleça normas condizentes com as condições da cidade, ordenando e destacando a numeração, para que possamos enxergá-la com facilidade mesmo durante a noite.RENATO DE LUCCIACapitalA Prefeitura responde:''''A proposta da lei Cidade Limpa é fazer com que os anúncios indicativos se coadunem ao tamanho do estabelecimento, para melhor ordenação visual. A fase é de transição, mas quando toda a cidade tiver se adaptado não haverá mais problemas de identificação, até porque, com a redução das peças, ficará bem mais fácil enxergar o número dos imóveis. O n.º oficial de cada terreno é dado segundo a distância do marco zero da rua. O emplacamento é obrigatório e de responsabilidade do dono, que, ao não atender a lei, pode ser multado em R$ 525,48. A placa deve ter altura mínima de 10 cm e algarismos arábicos e deve ser instalada em local visível, acima de 1,20 m de altura em relação à calçada.''''ANDREA MATARAZZOSecretário das SubprefeiturasCarta 18.987Agora as fachadasA Prefeitura surpreende quando exige a retirada de propagandas da fachada das lojas alegando poluição visual. Quando é que exigirão a limpeza das fachadas, agora sem propaganda? Imagino como seria se se tomassem as mesmas atitudes enérgicas contra os políticos que não trabalham às segundas e sextas.ED SANTOSCapitalA Prefeitura responde:''''Sempre fiscalizamos as fachadas em mau estado de conservação, por meio da Lei de Limpeza Periódica de Fachadas e do Código de Obras da Cidade. Além disso, mantemos serviço de pintura já feito em mais de 2,4 milhões de m2 de muros de áreas públicas. O Cidade Limpa é bem mais amplo do que a própria lei e, por isso, a administração municipal tem tomado medidas para acabar com a poluição visual em todos os sentidos. Uma delas é a sanção da lei que institui o Programa Antipichação, a ser regulamentada em agosto. A partir daí, poderemos fazer serviços de limpeza e pintura em muros e fachadas de imóveis públicos e particulares que estiverem pichados, diretamente ou em parceria com o setor privado.''''ANDREA MATARAZZOSecretário das SubprefeiturasCarta 18.988Cidade toda limpaCidade limpa, para mim, não é só remoção da propaganda indevida, pois algumas medidas (educacionais, restritivas e punitivas) são urgentes e inadiáveis. Falo do lixo nas ruas, calçadas e jardins. Além de ver a cidade limpa acima de minha cabeça, gostaria de vê-la limpa quando olho para baixo. Quanto a Prefeitura não economizaria com isso?NIRA DE OLIVEIRA CARNEIROIpirangaA Prefeitura responde:''''A sra. tem toda razão! Pode estar certa de que as equipes das subprefeituras fazem serviços de limpeza e varrição diários, mas esse trabalho teria mais êxito se contasse com a ajuda da população, que pode fazer sua parte pondo os sacos de lixo na rua no horário previsto para a coleta e varrendo o lixo diante de suas casas, ao invés de empurrá-lo para as bocas-de-lobo. Além disso, não se deve jogar lixo na rua ou depositar entulho em locais não permitidos (para isso, a cidade conta com 16 ecopontos). Essa conscientização ajudaria muito a termos uma cidade melhor.''''ANDREA MATARAZZOSecretário das SubprefeiturasO prefeito Kassab diz que a cidade está mais limpa. Acho que há alguma coisa errada, pois em muitos lugares por onde passo todos os dias há cada vez mais lixo e barracos, em pontes e praças, como as pontes das Marginais do Pinheiros e Tietê. A Avenida Dr. Gastão Vidigal e seus mendigos, por exemplo, embora esteja ao lado de um posto da polícia está uma vergonha, com seu lixão a céu aberto.ARTHUR LOVROVila MadalenaCorrespondência para São Paulo Reclama: e-mails para sprec@estado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.