Cartas

Medição complicadaDesde julho peço que um técnico da Comgás verifique por que minha conta subiu de cerca de R$ 140 para R$ 308,62. Até o dia 18/11 nenhum técnico tinha ido em casa e a empresa ameaçava cortar o gás por falta de pagamento. Para completar, o telefone da Ouvidoria está sempre indisponível. LENY V. BONAMINSão PauloBete Akemi, da Ouvidoria da Comgás, explica que as possíveis causas para um aumento de consumo de gás natural podem estar relacionadas à existência de vazamento na instalação interna, irregularidades no funcionamento dos equipamentos de consumo, funcionamento do medidor e erro de leitura. Um técnico da empresa foi à casa da leitora em 25/11, não encontrou vazamento na instalação interna e constatou que o fogão e o aquecedor estão funcionando normalmente. O medidor foi substituído e encaminhado ao laboratório de calibração da Comgás e a análise constatou que ele estava registrando volumes inferiores ao efetivamente consumido. A leitora pode pedir uma nova aferição do medidor por um órgão metrológico independente até dia 15/1/2009. Porém, se for constatado que o erro da aferição é inferior aos admitidos na legislação metrológica, as despesas de verificação e de teste de aferição (R$ 900) correrão por conta da cliente (parágrafo 3.º do artigo 33 da portaria CSPE 160/01). A Comgás não identificou nenhuma anomalia no processo de leitura de consumo nesse endereço. As contas foram emitidas com volumes inferiores ao que foi consumido. Como a falha ocorrida no sistema de medição é de responsabilidade da Comgás, não será cobrada a diferença. Exclusão digitalTenho um filha de 5 anos que estuda há 2 na Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Martins Fontes, localizado na Rua Bartolomeu Laurenti, no Parque Tietê. Essa escola recebeu em 2007 computadores, mas eles ainda não foram instalados. As máquinas estão jogadas em cima de armários dentro das salas de aulas. Segundo funcionários, o colégio já solicitou à Prefeitura a instalação, porém nada foi feito. A Prefeitura e a Secretaria Municipal de Ensino esperam que eles fiquem obsoletos ou que estraguem?ALEXSANDRO RODRIGUES DE LIMASão PauloA diretora Regional de Educação da Freguesia do Ó-Brasilândia, Maria Antonieta Carneiro, informa que todos os 15 antigos computadores que faziam parte da sala de informática da Emei Martins Fontes foram substituídos por novos e estão em plenas condições de uso desde o dia 3 de dezembro. Os novos computadores aguardavam reforma na unidade para serem instalados. Escritório na calçadaUm estacionamento fez da calçada da esquina das Ruas Antônio Prudente e Jambeiro Costa, em frente ao Hospital do Câncer, na Liberdade, o escritório de recepção de veículos, com mesa, guarda-sol, bancos de espera, placas de avisos e tudo o mais, impedindo totalmente a circulação dos pedestres e pacientes do hospital.IRIDE QUILICISão PauloO subprefeito da Sé, Amauri Luiz Pastorello, diz que atendeu ao pedido da leitora e a equipe de fiscalização da subprefeitura esteve na esquina das ruas citadas no dia 28/11. Em vistoria ao local, recolheram todos os equipamentos irregulares que estavam na calçada. O proprietário foi orientado a não mais utilizar do espaço público. A fiscalização local permanecerá constante. Ação rápida e eficazNa sexta-feira, dia 28/11, ocorreu um acidente na rede elétrica em uma rua no Alto da Lapa, quando um fio foi partido pela movimentação de uma retroescavadeira que opera numa obra particular. A situação se agravou no momento em que um funcionário contratado por essa obra pegou o fio, enrolou-o num poste e escondeu sua ponta numa moita do jardim da calçada. Por incrível que pareça, ele não levou um choque elétrico já que a ponta desse fio esbarrou no chão e houve um clarão significativo, demonstrando o perigo para ele e para os pedestres. O funcionário foi irresponsável, mesmo que tenha agido com boa vontade para tirar o fio do meio da rua. Acionei a Eletropaulo e em questão de 5 ou 10 minutos apareceu um fiscal-técnico para averiguar o problema e confirmar minha denúncia. Após mais uns 20 ou 30 minutos chegou a caminhonete com outros técnicos especialistas para os devidos reparos, que foram executados e, assim, impediram que acidentes maiores pudessem acontecer em razão do fio energizado deixado no passeio público inadvertidamente. Parabéns à empresa!MAURÍCIO MIGUEL PETROSINOSão Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.