Cartas

Direção defensivaEste ano não consegui renovar minha Carteira Nacional de Habilitação (CNH) porque o Detran (Departamento de Trânsito) exigiu o curso de direção defensiva. Em fevereiro de 2005 fiz um curso para taxistas do Aeroporto de Guarulhos, exigido pela Prefeitura e ministrado pela única escola do Cenatran na Vila Galvão. No curso tive oito horas de direção defensiva, mas, como desde de 2004 há uma portaria do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) exigindo 10 horas, o Detran-SP não me aprovou. Na escola ninguém resolve o problema. Minha primeira habilitação foi em 1991 e nas outras renovações não pediram o curso. Não posso dirigir com a habilitação vencida. Ainda bem que não trabalho com isso, senão como viveria?EDUARDO DE JESUS GASPARSão PauloO Detran-SP informa que, a partir de 28 de junho de 2005, os motoristas que têm CNH anterior a 19 de novembro de 1999, que precisarem renovar suas carteiras, terão de fazer os cursos de Primeiros Socorros e Direção Defensiva. A prova ou o curso devem ser feitos em Centro de Formação de Condutores (CFC) credenciado pelo Detran e no município onde a CNH está cadastrada. O Detran explica que o curso feito pelo leitor não é válido e verificou que sua CNH foi emitida em 12 de fevereiro de 1992 e por isso ele deve seguir o que determina a Resolução Contran 168/04. O condutor poderá optar em fazer a prova gratuitamente no Detran, desde que marcada com antecedência. O agendamento pode ser feito pessoalmente ou por meio do Portal e-Detran (http://portal.detran.sp.gov.br). Mais informações em www.detran.sp.gov.br, ícone renovação da CNH.Só para novos clientesTive uma conversa engraçada, se não patética, pelo atendimento online da Telefônica sobre o serviço Speedy. Em resumo: se eu quiser aumentar a velocidade do meu Speedy para 4 megas, terei que pagar R$ 119,87. Mas quem assina hoje esse serviço paga R$ 89,90 fixos e ainda recebe um modem. Pedi então para cancelar o serviço para assiná-lo de novo. A Telefônica utilizou um argumento incompetente para me coagir, dizendo que, se eu cancelasse o serviço, ela não me garantiria novo acesso. Moro em Caieiras, onde a Telefônica ainda não possui concorrentes para esse serviço. Tentei ligar para a Anatel, mas desisti após 15 minutos de espera. Tentei enviar e-mail para a agência, porém é exigido um cadastro prévio no próprio site, que estava com erro.BRAULIO B. DE MENEZES NETOCaieirasInspeção e avariasConsidero a inspeção de emissão de poluentes que está sendo feita em todos os veículos movidos a diesel como uma medida benéfica para a melhoria da qualidade do ar da cidade. Mas, como engenheiro mecânico e proprietário de um carro a diesel, considero que os veículos estão sendo submetidos a um esforço exagerado e desnecessário ao serem mantidos acelerados por 10 vezes em sua rotação máxima, inclusive entrando na faixa vermelha do conta-giros. No uso diário, nenhum veículo é submetido a esse regime de rotação e os que estão poluindo e que devem ser proibidos de circular podem ser detectados em rotações mais amenas, sem a necessidade de forçar os carros que se encontram em boas condições. O assunto já foi matéria do Estado em 1.º/11 (Após inspeção, avarias em carros, C4). Sugiro que a Controlar altere essa condição da inspeção para que possamos todos continuar a colaborar com a melhoria do ar da cidade. ADALBERTO LEME FERREIRASão PauloA assessora de Comunicação da Controlar, Marisa de França, esclarece que o Programa de Inspeção Ambiental Veicular realizado em São Paulo desde maio é semelhante ao adotado em pelo menos 51 países. A empresa informa ser uma concessionária de serviço público e deve seguir estritamente o determinado na legislação ambiental vigente e as exigências da Prefeitura. A Controlar afirma que não há exagero nas acelerações, que se trata de um procedimento determinado em lei e as acelerações são necessárias para uma avaliação correta do nível de poluição emitido pelos veículos.O bom trabalho da CETA Rua Fortuna de Minas é uma simples travessa da Avenida Aricanduva, mas já foi um transtorno por ser estreita e de mão dupla. Minha revolta era tanta que até tinha mudado de itinerário. Até que um funcionário da CET teve a brilhante idéia de alterar a mão de direção e fazê-la sentido único, acabando com os problemas de congestionamento. Parabéns ao trabalho! Aliás, na zona leste a CET tem um aparato bem eficaz. Muitas vezes eu os critiquei, mas admito: eles são competentes.CESAR TEIXEIRA GOMESSão Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.