Cartas

Dificuldades com telefoniaEstou tendo problemas com a Embratel há mais de um mês. Sou assinante de um sistema para empresas que envolve telefones e internet, o PME. Possuo 4 linhas telefônicas, e apenas duas estão em funcionamento, as demais ora falham (caindo a ligação a todo minuto), ora estão sem sinal! Entrei em contato mais de 10 vezes com a Embratel. A empresa diz ser um problema técnico. Já o técnico diz que é problema interno da operadora. Trabalho com telefone e internet e sem eles estou tendo prejuízos absurdos. Pago regularmente as contas e quando assinei o produto não havia uma cláusula dizendo que o sistema estava "sujeito a falhas seqüenciais". Estou decepcionado e transtornado com o descaso dessa operadora. Já entrei em contato com a Anatel e a agência me deu 5 dias para a resolução do problema, mas nada foi feito. EDSON KENDY OSAKOSão PauloA Assessoria de Imprensa da Embratel informa que, após análise técnica, o serviço do sr. Osako foi normalizado. E esclarece que a Central de Atendimento da Embratel está à disposição dos clientes para esclarecer qualquer dúvida, pelo telefone 103-21. A ligação é gratuita. Mais informações em www.embratel.com.br.O leitor contesta: O problema não foi solucionado. As ligações estão falhas ou caem sem motivo. Estou agora com problema na cobrança. A Embratel diz que cobra R$ 0,07 centavos o minuto, mas no detalhamento da conta mostra que ela está cobrando R$ 0,49 centavos o minuto. Estou cansado desses problemas com essa operadora. Já juntei dezenas de protocolos e nada de a Embratel regularizar o serviço. Não há o que pagueEu nunca tinha atrasado nenhuma conta com a Eletropaulo, mas, por um erro, não paguei a de 5 de maio. As de junho e julho foram pagas normalmente. Não vi a cobrança, que estava em letras mínimas na conta, e em 10 de julho um funcionário da Eletropaulo veio a meu prédio para cortar o fornecimento de energia. O porteiro pediu que ele esperasse minha esposa, que estava a três quarteirões do local, porque deveria ser um engano. Ele então ameaçou cortar a luz do prédio todo. Entrei em contato com a Eletropaulo pedindo para que não cortassem a energia, pois eu iria pagar a dívida imediatamente. A atendente me instruiu a pagar por um código de barras por ela fornecido. Mas não consegui, pois o código estava errado. Soube que poderia pagar pela internet e passar um fax. Só que não havia um telefone para confirmar se o fax tinha sido recebido. Depois de mais de uma hora ao telefone, consegui falar com a ouvidoria. O funcionário confirmou o recebimento e disse que seria cobrada uma taxa de religação de emergência, que seria feita em até 4 horas. Mas nada foi feito e eu tive de ligar diversas vezes e sempre ouvia a explicação de que uma equipe estava a caminho e de que em poucos minutos minha luz seria religada. Esperei horas ouvindo promessas até que, finalmente, à 1h30 recebi a "ótima" notícia de que não iriam me cobrar a taxa, porque não iriam mais religar a luz naquele dia, e que o novo prazo seria de até 4 dias. Eles vieram 11 dias depois! Reclamei na ouvidoria a resposta foi de que eu receberia o valor pago pela religação de emergência em conta. Como não recebi, ligava todo mês e era dada a mesma resposta, de que receberia na próxima conta.RICARDO MALANGASão PauloA AES Eletropaulo diz lamentar pelo ocorrido e orienta o cliente a comparecer na Loja de Atendimento mais próxima para receber o crédito citado. O leitor contesta: não aceito perder mais dias de trabalho por causa dessa empresa que não tem o mínimo respeito pelo cliente e cidadão brasileiro. Quero receber o valor com juros e correção em minha conta, em minha casa ou no meu escritório. Esclarecimento: Com relação à carta Prova irregular (16/12), a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo esclarece ao sr. Daneu que todas as questões do concurso obedeceram ao conteúdo programático relacionado no edital da seleção pública para investigador de polícia. Além de ter concluído o Ensino Médio, os candidatos deveriam ter noções de Direito e de Criminologia e conhecimentos de Atualidades, Lógica e Informática. Os selecionados investigarão crimes ocorridos em meios eletrônicos, devendo ter aptidão para o uso de ferramentas de Policiamento Inteligente. Quanto aos gabaritos apreendidos com alguns candidatos, todos eram falsos e incompatíveis com o gabarito oficial. Em caso de inconformismo, o candidato pode entrar com recurso administrativo na forma prevista pelo edital. Para mais informações, recomenda-se consultar o site da Polícia Civil, www.policiacivil.sp.gov.br. ENIO LUCCIOLA, da Assessoria de Imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.