Cartas

O trem vem chegandoNa Estação da Luz, o desembarque e o embarque dos passageiros da CPTM são feitos simultaneamente. Muitos retornam à Estação Barra Funda porque não conseguem descer na Estação da Luz. Os maquinistas anunciam a partida do trem recém-chegado e acionam o fechamento das portas sem dar tempo suficiente para o desembarque e posterior embarque de passageiros. Viajo de trem todos os dias e já vi vários acidentes. Um dia, uma senhora idosa caiu no vão entre a plataforma e o trem. Como ela era magra, as pessoas conseguiram salvá-la do atropelamento puxando-a de dentro do vão. SOLFERINO DE MARTIN CapitalMárcia Borges, da assessoria de imprensa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, esclarece que ações de melhoria nas plataformas da Estação da Luz facilitam o desembarque e o embarque de passageiros. A CPTM diz que, desde 1.º de dezembro, a Linha 11 - Coral (Expresso Leste) passou a fazer o desembarque na plataforma três e o embarque, na quatro. Segundo a CPTM, a ação trouxe melhorias na circulação dos passageiros e, em conseqüência, melhorou também a Linha 7 - Rubi, que faz o trajeto Luz-Francisco Morato. Informa também a adoção do tempo de espera de dois minutos para embarque e desembarque, que é superior ao adotado pelo Metrô, sem prejuízo da necessária oferta de um maior número de viagens nos picos e redução do intervalo entre elas. Quanto ao procedimento dos maquinistas, acrescenta que todos foram orientados a verificar o desembarque e o embarque para só então darem o aviso público e acionarem o fechamento das portas. Serviço públicoDizia Luiz de Anhaia Mello que as características primordiais do serviço público são a essencialidade e o exercício em regime de monopólio ou exclusividade parcial. É a essencialidade que leva o poder público a estabelecer regulamentos e a fiscalizar os serviços públicos. Esse conceito dá toda a razão aos leitores srs. Edson Kendy Osako e Ricardo Malanga quando, na edição de 20/12 do Estadão, criticam severamente empresas de serviço público que suprimem o fornecimento de energia por qualquer divergência com os seus usuários. É claro que as contas devem ser pagas; mas é claríssimo que os serviços não podem ser suspensos, a não ser após o cumprimento de rituais que dêem a possibilidade aos seus usuários de resolverem as pendências. Perder um mês ou dois da receita dos serviços deveria ser um risco do concessionário. Cobrar uma caução no momento da instalação dos serviços seria outra maneira de assegurar um prazo mínimo para sanear as divergências. Essa questão, nas relações concessionário/usuário, não está bem resolvida pelos regulamentos nacionais.ADRIANO MURGEL BRANCOSão PauloClonagem de cartãoSou médico e presto serviço para a Secretaria Estadual de Saúde. Em 2006 todo o funcionalismo público passou a receber seu honorários pelo Banco Nossa Caixa. Desde então tive meu cartão múltiplo clonado por duas vezes. Na segunda vez, enviei diversos e-mails à Ouvidoria e entrei em contato com a agência, mas não obtive resposta. Desta vez, sacaram dinheiro, fizeram empréstimo eletrônico e usaram o limite do cheque especial. Creio que o banco deve, no mínimo, estipular um prazo para regularizar a situação.JOSÉ FRANCISCO DE ASSIS NETOSão PauloO Banco Nossa Caixa informa que o valor reclamado pelo leitor, acrescido das taxas e tarifas geradas pelas movimentações financeiras indevidas, foi ressarcido no dia 18 de dezembro, data em que o cliente compareceu à agência e assinou o Termo de Adiantamento de Valores e Outras Avenças. O leitor confirma que o problema foi solucionado.Transporte de lixoNa madrugada do dia 19 de dezembro, ao descer na Estação Corinthians-Itaquera meus amigos e eu descobrimos o motivo da lentidão desde a Estação Anhangabaú. Funcionários do Metrô colocavam sacos de lixo em um dos vagões. Será que o esterilizaram? A companhia deveria fazer propagandas educativas que incentivem a coleta seletiva e expliquem o que deve ser feito com o lixo produzido dentro das estações.LUIZA CAMPOS DIASSão PauloMárcia Borges, da assessoria de imprensa da Companhia do Metropolitano de São Paulo, esclarece que, em janeiro de 2009, o processo para a retirada do lixo das estações será feito por uma empresa contratada pelo Metrô para atender às necessidades ambientais. Acrescenta que os detritos serão transportados por caminhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.