Cartas

Por falta de rotatóriaHá cerca de seis meses a Rua Joaquim Cândido de Azevedo Marques, no Real Parque, Morumbi, sofreu um recapeamento e a rotatória que havia no seu cruzamento foi retirada e não foi recolocada. Começaram a ocorrer acidentes até que, por iniciativa dos próprios moradores, foi feita uma rotatória "caseira" com cavaletes e pintura no asfalto. De nada adiantou, pois os cavaletes se quebram com o tempo e o cruzamento fica ainda pior com os detritos dos mesmos. Isso ocorre há seis meses! A Prefeitura até agora não se manifestou, não recoloca a necessária rotatória e seus avisos horizontais no asfalto. Gostaria de lembrar que o IPTU do bairro está entre os mais caros de São Paulo. Deveriam ao menos dar a contrapartida ao que é pago. Um absurdo, prefeito Gilberto Kassab! Para onde vai nosso dinheiro?JOSE CARLOS BARTHOLISão PauloAdele Nabhan, do Departamento de Imprensa da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), informa que a rotatória em questão está sendo recolocada pela CET. Esclarece que no dia 19 de dezembro foi implantada a sinalização vertical de rotatória na Rua Joaquim Cândido de Azevedo Marques, no Real Parque. O projeto de sinalização horizontal teve início também nessa data, diz.O leitor contesta: Além da sinalização no piso, nada foi feito no local até o momento. Se demoraram seis meses para fazer essa sinalização, imagino que teremos de esperar por mais um bom tempo até que a necessária rotatória seja implantada. Enquanto isso, acidentes vão ocorrendo, causando prejuízos e vítimas. O IPVA que pagamos e o IPTU servem para quê?Novo tributoA criatividade do povo brasileiro sempre foi reconhecida e não poderia deixar de ser diferente com mais um imposto, camuflado de inspeção, e cheio de boas intenções, pelo menos no papel. Muito já se falou sobre o aluguel de pneus, lanternas, amortecedores, freios, catalisador e qualquer outro item passível de inspeção. Mas o governo faz questão de ignorar tudo isso, de olho apenas no dinheiro fácil, aliás, uma tri-tributação (IPVA - DPVAT - inspeção) sobre o veículo e, como sempre, manipulando o nome do novo imposto. Ganham o governo e o empresário do ramo e perdem o ideal da proposta e a população.UBIRATÃ CALDEIRASão Bernardo do CampoPedestre em focoAo ler o artigo de Marcos Sá Corrêa (7/1, A2) sobre o esforço e a dedicação da comissária de Transportes de Nova York com relação à modificação de conceito e de tática de trânsito na cidade, não pude deixar de comparar as atitudes das autoridades brasileiras com as de outros países. No dia 6/1 um leitor voltou a tocar no assunto tão importante e ao mesmo tempo tão deixado de lado pela CET em São Paulo, e porque não dizer em todo o País, que é a dificuldade dos pedestres para atravessar uma rua ou avenida. Ao reclamar da passarela sobre a Av. Rebouças, a resposta dada ao leitor foi a de sempre: inútil. Dizem os técnicos da CET que a passarela está em perfeitas condições de travessia (não é verdade) e culpa os pedestres por se arriscarem. Há pouco tempo a CET respondeu que a fluidez do trânsito é mais importante, quando da reclamação da leitora Vanessa Lima e da minha também, sobre as dificuldades de se atravessar a rua, mesmo na faixa para pedestres. O incentivo ao uso do automóvel e o descaso com quem anda a pé ou se desloca de cadeira de rodas ou de bicicleta pela cidade não serão atenuados apenas com uma campanha de conscientização de pedestres e motoristas nos moldes da que está sendo veiculada. Será preciso muito mais. Atitudes mais ousadas e firmes que não só beneficiariam o trânsito de motorizados e de pedestres, como também o ar e a qualidade de vida da cidade de São Paulo. Coragem e ousadia são o que faltam às autoridades.MARIA TEREZA MURRAYSão PauloPonto extra grátisAo instalar o serviço SKY+ o técnico da empresa não alertou que eu poderia usar o equipamento antigo para um ponto extra e o levou embora. Ao fazer o pedido do ponto extra grátis, fui informado de que não seria atendido porque já "tenho" o ponto extra, de acordo com o infalível sistema da SKY. A atendente, após horas ao telefone, informou que a SKY só tomará conhecimento do assunto se receber comunicação de próprio punho do assinante! Por que a SKY não quer falar sobre o assunto? Trata-se apenas do mais simples descaso pelo cliente?EDUARDO MIORISão PauloO diretor de Relacionamento da SKY, Eduardo Belham, informou que a empresa agendou a instalação do ponto extra com o cliente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.