Cartas

Promoção só por telefoneEstou indignado com a Telefônica. Minha mãe recebeu uma ligação de funcionário da empresa, em novembro, oferecendo-lhe uma promoção para o pacote trio da Telefônica, ou seja, telefone, TV e internet. O valor seria de R$ 29,90 pela internet e telefone e R$ 49 pela TV por assinatura. Quando soube, liguei para a Telefônica porque não havia a possibilidade de instalar a internet, já que minha mãe nem tem computador. Mas de nada adiantou. A conta chegou no valor de R$ 109,28 no dia 12/12/2008. Liguei para reclamar da cobrança indevida, e o atendente disse que iria corrigir o valor, que não era para eu pagar a conta. No dia 9/1 minha mãe recebeu uma ligação informando que, se ela não pagasse a conta, seu telefone seria cortado. Meus pais são idosos e a empresa faz isso! Liguei novamente para a Telefônica e o funcionário disse que não existia nenhuma promoção e que eu teria de pagar a conta. Falei que queria cancelar o plano e soube que, para cancelar, tenho de pagar uma multa por quebra de contrato. Depois de falar com 15 funcionários da Telefônica, cada um empurrando a questão para outro, um atendente disse que encaminhou meu caso para análise. Gostaria de saber se a empresa faz algum treinamento com seus funcionários para que atendam corretamente seus clientes. E o absurdo é que eles ligam todo dia na casa da minha mãe dizendo que a linha vai ser cortada. Paguei a conta para evitar que meus pais sofram algum problema de saúde por causa dessa pressão!MAURO SÉRGIO DE MEDEIROSSão PauloA Telefônica não respondeu à Coluna.Fora do prazoPassei o ano de 2008 pedindo a Nota Fiscal Paulista para ter desconto no IPVA de 2009. Fiz tudo como mandaram. Em 23/10 pedi os créditos para abatimento (o prazo era até dia 31/10). Como não recebi o aviso do IPVA, paguei-o pela internet, mas sem desconto. No dia 13 de janeiro, chegou o meu IPVA de 2009 com o crédito de R$ 74,42, só que com vencimento em 9/1. Como podemos acreditar no nosso governo que só sabe desrespeitar o contribuinte?LAIR CABRAL DE SAMPAIOSão Paulo A Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo informa que a secretaria, além de enviar o aviso de vencimento para o endereço do contribuinte, faz ampla divulgação das datas de vencimento do IPVA pela imprensa e internet. Todos os avisos foram postados com antecedência. O atraso, nesse caso, é uma exceção. O aviso é apenas um lembrete e não é condição imprescindível para que o pagamento do IPVA possa ser feito no prazo. Mesmo sem o aviso, o contribuinte pode realizar a quitação do imposto nas agências bancárias fornecendo o número do Renavam. Como alternativa, o contribuinte tem ainda a opção de imprimir a guia de recolhimento a partir do site da Secretaria da Fazenda e com ela fazer o pagamento nos bancos.A leitora contesta: A resposta foi dada sem ter nada com a reclamação. Eu paguei o IPVA em dia, pela internet. Mas sem o crédito de R$ 74,42 a que tinha direito. Cadê o meu desconto? Continuo dizendo que fui desrespeitada.Tarifa da inspeçãoO caderno Metrópole do Estadão de 19 de janeiro (C3) diz: "Sobre os questionamentos da necessidade do pagamento da tarifa, uma vez que o valor será devolvido, a Prefeitura afirma que tem de destinar os recursos pelos serviços prestados pela concessionária. O reembolso serviria para estimular os donos de veículos a participarem da inspeção. A Secretaria do Verde e Meio Ambiente afirma que os recursos virão do orçamento da Pasta e que ainda não há uma previsão da quantia que será usada." Está tudo claro? Para mim, não. Se for tarifa, é impositiva para proprietários de veículos e não necessita estímulos, mas, sim, de fiscalização. Se é reembolsável, para que cobrar? Só para infernizar a vida do paulistano que não raro despende mais dinheiro e tempo para receber o que lhe é devido pelo governo? Vide os precatórios, os reembolsos devidos pelos planos Collor, Sarney. Isso sem falar no IPVA.AFFONSO ALBERTO C. CARDOSOSão PauloInforme-se: A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou em 15/1 as regras para a portabilidade dos contratos de planos de saúde, que entrarão em vigor dentro de 90 dias. Com o novo regulamento, os usuários de planos individuais firmados após janeiro de 1999 poderão mudar de uma operadora de assistência de saúde para outra que apresente melhores condições, em termos de preço e de prestação de serviço, com aproveitamento das carências já cumpridas.Fonte: Procon - SP

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.