Cartas

Campus Party Este é o Ano Internacional da Astronomia. Sou astrônomo amador e após um mês de planejamento para conseguir uma folga no trabalho, no dia 21/1 fui à Campus Party para assistir a duas palestras sobre astronomia. No site da organização do evento, a palestra estava agendada para as 17 horas, mas, quando cheguei, ela havia sido cancelada. Motivo: corte de patrocínio. Frustrado, mas não tão surpreso assim, aproveitei para visitar a feira e notei que o lugar não estava adequado para o evento. O patrocinador? A Telefônica. Acho que não preciso dizer muita coisa, pois basta ler esta Coluna para ver o relacionamento do Serviço de Atendimento ao Cliente com os consumidores. Gostaria de uma explicação por parte da organização do evento. JOÃO CARLOS CARNEIRO São Paulo O diretor de comunicação da Campus Party para a América Latina, Roberto Andrade, esclarece que a área de Astronomia, tradicionalmente realizada dentro da arena restrita aos "campuseiros", foi alocada na área Expo nesta edição por conta do Ano Internacional da Astronomia 2009, com o intuito de que mais pessoas pudessem fazer observações do céu e visitar a exposição "Sobre os céus", especialmente preparada para a ocasião. A organização reconhece que houve falha de atualização da programação de Astronomia disponibilizada no site do evento. A Campus Party Brasil pede desculpas pelo inconveniente e informa que o erro foi corrigido em 20/1, no dia do início das atividades do encontro. Esclarece que a Telefônica, principal patrocinadora do evento, não teve qualquer responsabilidade sobre o ocorrido. Saúde pública A nossa saúde, tanto na área federal como na estadual, vai de mal a pior. Na realidade, uma vergonha desastrosa! E ainda vem o governador José Serra fazendo propaganda enganosa e falando das AMAs como sendo referência. Sexta-feira estive na unidade Flávio Gianotti, do Ipiranga, para marcar uma consulta com um médico ortopedista e a recepcionista simplesmente se limitou a informar que não havia médico na especialidade. Tentei marcar para outro dia e ela disse que não poderia colocar-me numa fila de espera de uma especialidade médica que ela não sabia quando haveria na unidade. ANGELO TONELLI São Paulo Carro abandonado Na Praça Paul Harris, em Moema, um Palio foi depenado e depois queimado na frente das autoridades e a carcaça continua lá. Peço ajuda à Coluna para a remoção do que restou do veículo. CLECIO CRUZ São Paulo O Departamento de Imprensa da CET informa que, por força de legislação e competência, a CET só pode remover das vias os veículos que estiverem estacionados de forma irregular, atrapalhando a circulação e a segurança do trânsito. No caso citado pelo leitor, fica evidente que o veículo está abandonado, cabendo sua remoção à subprefeitura da região. A CET já encaminhou solicitação à Subprefeitura da Vila Mariana. O leitor comenta: resta esperar a boa vontade da subprefeitura, pois já mandei e-mail e nada. Negociações pendentes Estou indignada com a Universidade Nove de Julho (Uninove). Tenho débitos pendentes e cheques devolvidos. Não terminei os estudos por isso. Desde que fui bloqueada na faculdade, venho tentando conversar de diversas formas e sou ignorada ou recebo a informação de que a universidade não pode renegociar cheques devolvidos pela secretaria. Sei que são abertas exceções para alguns, inclusive no ano passado me encaminharam uma resposta informando que haveria uma possibilidade de renegociação. Tenho a cópia do e-mail em mãos, mas quando cheguei lá ninguém me recebeu. Trabalho em uma instituição financeira e posso perder o emprego por causa dessa situação. ILMA NASCIMENTO DA SILVA São Paulo A Universidade Nove de Julho esclarece que, conforme norma vigente, o parcelamento de cheques devolvidos não é realizado e a Uninove oferece diversas opções para negociar os valores em atraso. Mas tais condições de parcelamento não são aplicadas aos casos de descumprimento de primeira negociação. Caso a aluna queira contatar a universidade, basta enviar uma mensagem pelo link Ouvidoria. A leitora contesta: Estou disposta a quitar minha dívida e não tenho condições de aguardar para resgatar todos os cheques, já que tenho de entregá-los ao banco, pois posso perder meu emprego. Já enviei várias solicitações pela Ouvidoria e não recebi nenhum contato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.