Cartas

Infestação por cupins Venho expressar a minha preocupação com uma árvore que está infestada por cupins, da raiz até os galhos mais altos. Está localizada na Rua Banibas, Alto de Pinheiros, plantada em calçada pública. É possível observar rastros dos cupins na base da árvore, que tem aproximadamente 10 metros de altura e, com as últimas chuvas, poderá cair a qualquer momento em direção a uma das casas.Se cair em outra direção, irá atingir a Praça Conde de Barcellos, onde os moradores do bairro costumam caminhar, levar seus filhos para passear ou andar de bicicleta, podendo até atingir uma fiação elétrica que passa embaixo da árvore. Fiz reclamação na Subprefeitura de Pinheiros, no dia 27/8/2008, e a única providência tomada por eles foi enviar a equipe de jardinagem no local para fazer uma avaliação do problema e cortar alguns galhos no alto da árvore. O responsável pela avaliação confirmou que a árvore está em situação de risco e deveria ser removida. Mas até hoje nada foi feito. MARIA HELENA RICARDO GRECCHI São Paulo O subprefeito de Pinheiros, Nevoral Alves Bucheroni, informa que, após vistoria de uma engenheira agrônoma da subprefeitura, constatou-se ser uma árvore da espécie jacarandá, que necessita ser removida. No entanto, por se tratar de área de proteção ambiental, tal remoção precisa ser autorizada pelo Departamento de Áreas Verdes da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (Depave). O subprefeito esclarece que encaminhou solicitação para o respectivo órgão e, como medida preventiva, a subprefeitura realizará a poda da copa para aliviar o peso da árvore. Burocracia da NET Por duas horas e meia tentei resolver o meu problema com a NET, de cancelamento da mensalidade da TV. A fatura que chega na minha casa vem no nome do meu irmão, que mora no exterior, e a NET me informou que é necessário ser o titular da conta para cancelar o serviço. A empresa disse que eu teria de transferir a titularidade da conta para então cancelá-la. Passados três dias da transferência de titularidade, voltei a entrar em contato com a NET. Na primeira tentativa não obtive sucesso, pois me disseram que o contrato era novo e que eu teria de esperar por 1 ano (a tal fidelidade) para cancelar a TV ou teria de pagar uma multa de R$ 350. Na segunda, após explicar a situação novamente, a ligação caiu. Na terceira falei com um atendente que me passou para sua supervisora. Após horas ao telefone, ficou como valor final R$ 104,90 pelo Virtua e pelas ligações feitas pelo telefone fixo (que são variáveis todo o mês). A conclusão para tudo isso é que é preciso pensar duas vezes antes de contratar um serviço, qualquer que ele seja. LAURA TELLES São Paulo Fernanda Piccablotto, da Gestão de Clientes da NET - São Paulo, esclarece que a empresa entrou em contato com a sra. Laura no dia 3 de fevereiro e diz que ela confirmou a opção de cancelar os serviços. Perigo de explosão Venho a utilizar este canal, pois todas as minhas tentativas de entrar em contato com a Ouvidoria da Eletropaulo não tiveram sucesso. Os telefones não completam as ligações. Moro num sobrado, cuja sacada fica bem em frente a um poste da Eletropaulo. Algum tempo atrás colocaram um transformador nesse poste e, quando chove, ele emite faíscas. Já reclamei várias vezes, mas a empresa não faz nada. Todos os eletricistas, sem exceção, disseram que esse transformador não poderia em hipótese alguma estar no nível da sacada, pois, no caso de explosão, o risco é muito grande para quem estiver ali. Minha casa fica em frente a uma praça e não entendo por que colocaram o transformador entre dois sobrados com sacada, e não na praça pública que não apresenta nenhum risco. HERMES LUIGI CANTINI São Paulo A Eletropaulo não respondeu à reclamação do leitor. IPTU paulistano É revoltante o cinismo com que as autoridades respondem às queixas dos contribuintes. Li várias cartas na Coluna sobre o assunto, como a publicada no dia 8, Aumento do IPTU. A Secretaria Municipal de Finanças informa que o IPTU foi corrigido em 6%, correspondente à variação da inflação em 2008 e, por esse motivo, o valor venal do imóvel superou o limite de isenção. O que a secretaria não diz é que a correção só foi aplicada sobre o tributo, mas não sobre o valor de isenção. Isso é uma desonestidade típica do Poder Executivo em suas várias instâncias. NEY SEBASTIÃO MONTEIRO São Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.