Cartas

Trens podem ser a soluçãoQuando fui de carro de São Paulo a Itajaí pela BR-101, linha tronco do Mercosul, no fim do ano passado, levei dez horas numa estrada congestionada, esburacada e inundada. No mesmo ano, percorri a mesma distância pelo Intercity, trem-bala alemão, em duas horas, a 350 quilômetros por hora. Porque não constroem mais ferrovias no Brasil e arquivaram o projeto de construção do trem-bala, já com financiamento externo confirmado? ARSONVAL MAZZUCCO MUNIZSão PauloO Ministério dos Transportes esclarece que o governo federal crê que a expansão ferroviária é a melhor resposta à urgência das demandas em transportes e, consequentemente, à expansão econômica. Informa que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) retomou o planejamento e investimentos no setor. Dá, como exemplo de ação a Ferrovia Norte-Sul, com ramais ligando o Centro-Oeste e o Norte do País a portos em Itaqui (MA), Belém (PA), Pecém (CE), Suape (PE), que tem ligação com a Transnordestina, Ilhéus (BA), em ligação com a Oeste-Leste, e Santos (SP). Diz que o governo conclui os estudos técnicos que definirão o modelo de concessão do Trem de Alta Velocidade (TAV) para passageiros, ligando as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas. A previsão do grupo interministerial de gestão do PAC é que as audiências públicas ocorram a partir de abril e o leilão, no próximo semestre. Diz que, no futuro, o governo expandirá as linhas de TAV para as ligações São Paulo-Curitiba e São Paulo-Belo Horizonte e que o Ministério programa a recuperação de linhas ferroviárias para o uso do transporte regional de passageiros.IPTU deslumbrado? O IPTU de 2009 de cinco sobradinhos, no bairro Campo Belo, veio com aumentos que vão de 37,8% a 70,8%. Por quê? Valorização de alguns imóveis? Claro que não: são imóveis semelhantes, nas mesmas ruas e sofreram aumento do valor venal de 5% a 7%. Parece-me simples abuso, visto que temos o prazo de 90 dias para reclamar - e de apenas 20 dias para pagar! Pago e depois reclamo ou apenas repasso aos indefesos locatários? Mesmo porque já suporto a doação de 27,5% de imposto federal, pagamento antecipado e sem nenhuma retribuição. É a vez da Prefeitura? Gostaria de ouvir o que o sr. Kassab tem a dizer.ALOIZIO BIGNARDI DE LIMA São PauloA Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Finanças informa ter constatado, em levantamento, que os imóveis citados pelo sr. Lima perderam o direito à aplicação do desconto no valor venal, base de cálculo do IPTU. Pela Lei n.º 14.089/2005, os benefícios fiscais previstos na legislação só podem ser concedidos a um imóvel por contribuinte. Já o imóvel de n.º 086.265.0035-1 saltou de faixa de valor venal de até R$ 65.526,91 para a faixa a partir de R$ 65.526,92 a R$ 131.053,84, em que o desconto no IPTU é menor. Essa mudança de faixa foi decorrente da atualização anual do valor venal, prevista na legislação.Cálculo para cimaPor que a tabela de veículos só foi atualizada agora, após o pagamento do IPVA? Conflito de interesses? Afinal, a Fipe pertence à FEA-USP, logo, ao governo do Estado, correto? Colocar o real valor dos automóveis depois da desvalorização provocada pela redução do IPI não vale a pena, não é? Veja o caso do New Civic LXS Flex Mecânico 2007. Ele valia R$ 59 mil em janeiro, na ocasião do pagamento do IPVA. Hoje, na tabela da Fipe, vale R$ 50 mil. Mas em janeiro já valia R$ 50 mil. No entanto, atualizar a planilha impactaria em perda de arrecadação. Não é isso? Só para um único carro significa uma diferença de R$ 360. Imaginem nem total de veículos com Renavan em São Paulo. Contribuinte neste país sofre uma barbaridade.HUGO PAIVASão PauloUm bom trabalhoVejo pelas cartas publicadas que as pessoas estão muito mais propensas a criticar os "marronzinhos" da CET do que a elogiá-los. Acho, no entanto, que esses trabalhadores têm muito o que ser elogiado. São modestos. Executam um sem-número de missões se pestanejar. Ajudam a desimpedir o trânsito. Trocam pneus, empurram carros para o acostamento, tentam fazer pequenos reparos que o motorista normal não sabe sequer por onde começar. Outro dia um grupo de "marronzinhos", com pás e enxadas, debaixo de chuva, tratava de tirar a lama que impedia o uso da pista de uma das avenidas da cidade. Não sei quanto ganham, mas, seguramente, ganham pouco. Sem a sua ajuda, a cidade de São Paulo, tão confusa, tão cheia de problemas, sem dúvida seria muito mais confusa e muito mais problemática. JOSÉ CARLOS STABELBarueri

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.