Cartas

Na contramãoUma obra da prefeitura de Embu das Artes em frente ao hotel em que trabalho, na Avenida João Batista Medina, rompeu um cano às 8h30, no dia 13, jorrando um grande volume de água o dia todo. Às 21 horas, o atendente do 195 informou que não faziam consertos noturnos. O hotel e as casas vizinhas ficaram sem água. Às 11 horas do dia 14, um técnico da Sabesp foi lá e disse aos moradores: "Vamos arrumar logo após eu almoçar. Até umas 15 horas vai ficar tudo certo." Mas continuamos sem água.MAURO VIANNA FERRAZEmbu das ArtesO superintendente da Unidade de Negócio Sul da Sabesp, Roberval Tavares de Souza, informa que no dia 12 houve um vazamento em uma rede de 50 milímetros (mm) que abastece a região por causa de um erro durante a execução do conserto da galeria de águas pluviais feito por uma equipe da prefeitura. Diz que, apesar do problema ter sido resolvido no mesmo dia, uma rede de 400 mm foi fechada e, depois, houve outro problema na mesma obra que deslocou parte do solo, impossibilitando o reparo imediato. Esclarece que essa rede precisou ser fechada para os técnicos esvaziarem e escorarem a tubulação. Ressalta que o reparo só será concluído após o término dos serviços de manutenção das galerias, mas o vazamento foi encerrado e normalizaram o abastecimento no dia 15 com o prolongamento de duas redes de 32 mm. O leitor diz que houve um vazamento constante por 53 horas e que a equipe enviada pela Sabesp no dia 15 o solucionou com mais rapidez do que as outras. Reclama da falta de resposta sobre o prejuízo dos moradores.Aventura no asfaltoDirigir em algumas avenidas de São Paulo é uma aventura. Além do asfalto ruim, há muito tempo não se vê manutenção de faixas horizontais de orientação. A CET continua estudando e planejando... Reclamo há dois anos. É preciso estudar muito para perceber que é urgente instalar faixas de orientação? Verifiquem a Avenida Jornalista Roberto Marinho (da qual reclamo há um ano) e as Avenidas Roque Petrone Júnior, Vicente Rao, Vereador João de Luca e Cupecê. MARCOS IGNACIOSão PauloAdele Nabhan, do Departamento de Imprensa da CET, informa que está em processo a instalação da sinalização de solo nas Avenidas Cupecê, Vereador João de Luca e Professor Vicente Rao. Diz que para a Avenida Jornalista Roberto Marinho foi elaborado projeto de sinalização horizontal que será adotado conforme o cronograma de serviços da CET. Esclarece ainda que a sinalização de solo na Avenida Roque Petrone Júnior está em boas condições de conservação.O leitor comenta: É impressionante como não respondem objetivamente a questão sobre quando teremos sinalização.Problemas nos CorreiosO que ocorre com os Correios? Nas últimas semanas, cartas e encomendas têm levado muito mais tempo para ser entregues. Uma correspondência de São Paulo para Florianópolis demorou dez dias; um Sedex, três dias. Mesmo dentro da cidade de São Paulo, uma encomenda postada por Sedex tem levado de dois a três dias para ser entregue. Não aconteceu somente meia dúzia de vezes nem com duas ou três pessoas. A incrível morosidade do serviço postal se tornou uma constante e um grave problema para os usuários dos Correios. Afinal, no caso do Sedex, paga-se caro para que ele seja entregue em 24 horas, não por esporte ou gosto, mas por necessidade e urgência. M. CRISTINA ROCHA AZEVEDOFlorianópolis O assessor de Comunicação dos Correios, Ary Cândido Martins Filho, informa que o atraso na distribuição das correspondências simples da sra. M. Cristina ocorreu por causa de um problema no processo de triagem do Centro de Tratamento de Cartas em Florianópolis. Diz que, embora a situação já tenha sido regularizada, os Correios farão o acompanhamento na distribuição de correspondências no endereço da cliente durante um mês. Com relação ao atraso de Sedex, diz que cada objeto possui um número que possibilita o rastreamento desde a postagem até a distribuição. Caso ocorra atraso na entrega em razão de problemas operacionais dos Correios, caberá indenização a ser paga para o remetente. Mais informações em www.correios.com.br. Serviços públicosQuando colocamos o lixo na rua em horários não permitidos, corremos o risco de ser multados. Quando a Prefeitura não faz seu serviço, recolhendo-o, qual é o nosso direito?MARIO J. C. SLIKTASão PauloU

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.