Cartas

Poluição nas ruas da cidadeNo dia 19 de abril, eu estava no meu carro na Avenida Morumbi, próximo ao Palácio dos Bandeirantes, e vi uma grande nuvem de fumaça. Parecia um incêndio, mas não era. Era uma perua Xsara Picasso que, por causa da fumaça que soltava, impossibilitava que se visse a placa. Ela desceu a Avenida Oscar Americano deixando uma nuvem de mais de 500 metros de óleo queimado, que invadiu casas, o Parque Alfredo Volpi e até meu carro, que estava com os vidros fechados. A perua foi fabricada antes de 2003 e pode poluir à vontade! Na semana passada, eu estava na concessionária e ouvi uma conversa telefônica de um cliente que teve seu carro a álcool, 2008, reprovado pela Controlar. A indicação da concessionária foi para que o proprietário enchesse o tanque e refizesse o teste. No Canadá, os carros com mais de dez anos passam por uma vistoria anual gratuita, sem filas, sem agendamento e recebem um selo para comprová-la. Não daria para inverter os papéis? Não sei se é para rir ou chorar. Quem tem o carro em ordem tem de ser sacrificado, perdendo tempo para agendar, pagar, ir ao local, não ser atendido na hora e não receber o dinheiro de volta.CECILIA BROGGISão PauloA assessora de comunicação da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, Mônica Ribeiro, informa que o Programa de Inspeção Veicular Ambiental vem sendo implantado pela Prefeitura gradativamente. Os veículos anteriores a 2003 estão sendo monitorados pela fiscalização viária e os mais poluentes detectados pelo sistema estão sendo chamados a fazer a inspeção ainda este ano, por convocação por carta.Carro para deficienteExpresso minha falta de credibilidade em relação ao governo do Estado de São Paulo no que se refere aos direitos dos portadores de deficiência física. O governo federal liberou o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e os carros podem ser trocados a cada dois anos. Já o Estado liberou o imposto só para carros de até R$ 60 mil, e a troca pode ser feita de três em três anos. Por que eles não sincronizam as normas? É impossível com esse valor adquirir um carro que seja automático, que venha da fábrica com todos os acessórios e ainda leve a família do portador de deficiência em segurança. ILO RITARDO BASTIANI NETOSão PauloPropaganda enganosaDias antes de o governo divulgar a redução do IPI, uma rede de lojas de móveis e eletrodomésticos anunciou uma geladeira a R$ 990. Uma semana após a redução oficial, a mesma loja produziu um outro anúncio com o mesmo preço e com os dizeres "O preço baixou, refrigeradores com IPI reduzido" . Isso é uma farsa e quem perde são os consumidores e o governo.ADÃO RIBEIROSão Paulo Parque na AugustaHá anos eu e outros moradores do bairro Consolação reivindicamos a criação de um parque na última grande área verde no centro de São Paulo: um terreno de cerca de 26 mil m² localizado na Rua Augusta, entre as Ruas Caio Prado e Marquês de Paranaguá. O Projeto de Lei n.º 345/2006, conhecido como "Parque da Augusta", foi arquivado no dia 4 de março. Apesar da vitória da população com o decreto de desapropriação assinado pela Prefeitura em agosto de 2008, parece que mais uma vez o cidadão paulistano e a cidade sairão perdendo para a especulação imobiliária. FÁBIO DE SOUZASão PauloA Secretaria do Verde e Meio Ambiente informa que a Prefeitura declarou a área de utilidade pública e que os técnicos estão fazendo os estudos para prosseguir no processo.Esclarecimento: Em relação à carta do sr. Marcelo Gouveia (Péssimos torcedores, 19/4) sobre brigas nos trens de torcedores após jogos, a CPTM informa que, no dia 12, o trem que circulava no sentido Calmon Viana, na Linha 12-Safira, por volta de 21h30, levava torcedores que voltavam do jogo Corinthians x São Paulo. Eles estavam escoltados por agentes da companhia e, ao parar na Estação Engenheiro Goulart, onde estavam torcedores do time adversário, houve um princípio de confronto, controlado pelos agentes. Dois torcedores que participaram do conflito foram identificados e encaminhados ao Distrito Policial da região. A CPTM informa ainda que a Estação Engenheiro Goulart é uma estação ativa da linha, onde os trens da linha 12 param regularmente. A empresa realiza operação especial de segurança quando há grandes eventos de futebol na cidade e, para evitar conflitos os grupos de times adversários viajam em vagões diferentes (no primeiro e no último), acompanhados por seguranças durante todo o trajeto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.