Cartas

Assaltos no CambuciFoi divulgado que os assaltos na região da Avenida Lins de Vasconcelos aumentaram nos últimos meses. Segundo dados obtidos no 6.º Distrito Policial, dos 277 furtos que viraram boletim de ocorrência, 9% foram contra pedestres e comerciantes. Mas o número é maior, pois muitos não denunciam. A polícia faz um bom trabalho e até prendeu uma quadrilha que agia na região. Porém a bandidagem é maior que o efetivo policial. Nós, moradores e comerciantes, estamos reivindicando a construção de uma Base Comunitária na esquina da Avenida Lins de Vasconcelos com a Rua Basílio da Cunha, área que pertence à Sabesp e fica perto de três bancos, onde as ocorrências são maiores.RICARDO L. CARMOSão PauloA Polícia Militar diz que as informações do leitor foram consideradas no planejamento operacional da região para adoção das medidas de policiamento preventivo adequadas. Esclarece que a distribuição de recursos humanos e materiais é desenvolvida mediante estudo técnico, levando em conta variáveis como população residente e flutuante, indicadores criminais, informações geopolíticas, peculiaridades locais, etc., para que tais recursos atendam a todas elas com critérios de Justiça e equidade, como também, se necessário, considerar a realocação de recursos. Diz que a falta de registro de ocorrências prejudica o trabalho policial e que nem sempre a instalação de uma Base Comunitária de Segurança e a ampliação de efetivo de uma região são a melhor alternativa, mas, no caso específico, a sugestão foi encaminhada ao Comando responsável pelos estudos técnicos para avaliação.Será mais um golpe?Com relação à inspeção veicular, muito "engraçadinho" o promotor que quer suspender o reembolso da taxa... A tal da inspeção foi mais uma medida (a exemplo do selo de 1977 e do kit de primeiros socorros) tomada pelos nossos governantes simplesmente para arrancar mais dinheiro de nós, pobres munícipes! Já não pagamos um valor absurdo pelo IPVA, um dos mais caros do País (se não o mais), que poderia muito bem cobrir o custo dessa nefasta inspeção? E o que dizer de um carro 2008 (é o meu caso), ainda na garantia, com 6 mil km rodados, revisado pela concessionária no mês da inspeção? É realmente necessária essa medida?MARCIA JUSTOSão PauloÉ difícil negociarSou correntista do Banco do Brasil e tenho o cartão BB/Saraiva. Recebi uma notificação para fazer um acordo de pagamento, cuja negociação, segundo o banco, poderia ser feita por telefone. Ao ligar para o número informado na carta, o atendente disse que só poderia ser feita no banco. Fui à agência do Tucuruvi e a funcionária disse que tenho de esperar o banco encaminhar a notificação para uma empresa de cobrança para fazer o acordo. Fui ao Procon e eles enviaram uma notificação que ainda não foi respondida pelo Banco do Brasil. Que banco é esse que envia uma notificação dando um prazo de 7 dias para resolver uma pendência no cartão de crédito e que não pode resolvê-la como ele mesmo pediu? SILVIO PEREIRA E SILVASão PauloO superintendente do Banco do Brasil, Valmir Pedro Rossi, informa que a dívida do sr. Silva foi encaminhada à empresa de cobrança terceirizada. A empresa entrou em contato com ele e foi fechada a negociação de sua dívida em 12 parcelas. Não há verbaA sinalização de solo de São Paulo em quase toda a cidade está apagada. O que gera um custo indireto para todos pelos acidentes que, com certeza, isso acarreta. Moro na Avenida Nossa Senhora do Sabará, que foi recapeada em janeiro e ainda está sem faixas de pedestres e de divisão entre os veículos. Já telefonei duas vezes ao 156 e nada foi feito. Liguei para a CET, que informou que o projeto de sinalização está pronto, mas falta verba da Prefeitura. Na Ouvidoria da Prefeitura, a funcionária não quis registrar a queixa, já que a Prefeitura está sem verba! EDGAR HAMILTON DUROSão PauloRecapeamento malfeitoNão sei o valor envolvido nesse trabalho, mas creio que deva ser baixo, pois os locais recapeados na região do Jockey são de péssima qualidade e mesmo antes das chuvas estarão abertos ou danificados. O mais grave é que estão usando o dinheiro público para fazer um mau trabalho na região já tão congestionada. Era melhor não fazer. Não sei onde estão os engenheiros responsáveis. LUIZ ANTONIO ERHARDTSão Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.