Cartas

Sem ter a quem recorrerMinha filha, de 2 anos e meio, teve febre alta por quatro dias e a pediatra pediu diversos exames, entre eles, um hemograma. Levei-a à unidade de Moema do Laboratório Salomão & Zoppi. Após quase uma semana de espera pelo resultado, liguei para o laboratório e soube que eles haviam perdido o material coletado. Questionei por que não avisaram antes e, com descaso, responderam que bastava voltar e fazer novo exame. Pela urgência, levei a menina ao Hospital Sabará. Telefonei para a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e me passaram um número de São Paulo para fazer uma queixa. Não era o lugar certo, liguei para mais quatro lugares até desistir. GABRIELA MARIA PIZARRO REZEKSão PauloA gerente de Atendimento do Salomão & Zoppi - Medicina Diagnóstica, Ligia Regina Bernardes Fuentes, esclarece que todos os exames, à exceção do hemograma, foram feitos, e seus resultados estavam disponíveis de acordo com o tempo técnico de cada análise. Informa que requereram nova coleta ao detectarem insuficiência de material e que o pedido não era urgente. Diz que deram o cumprimento adequado à solicitação e que a sra. Gabriela visualizou os exames em data posterior àquela por ela mencionada.A leitora comenta: Eles não me procuraram. Minha filha fez o exame numa sexta-feira e eu liguei na quinta-feira seguinte para saber o porquê da demora para colocarem o resultado na internet, quando descobri que eles haviam perdido o material coletado. Foram negligentes, pois esperaram que eu os procurasse. Minha filha refez o exame no hospital por se tratar de uma emergência.Ideia boa, valor ruimA ideia do Expresso Aeroporto em princípio parece boa (12/5, C1). Mas quando se vê que a previsão do preço da passagem será de até R$ 35, tudo muda. É muito caro! Em Londres, vai-se vai do Aeroporto de Heathrow até o centro da cidade pelo preço de um bilhete de metrô. O mesmo ocorre em outras cidades europeias, como em Frankfurt, na Alemanha. Mas no Brasil sempre se parte do pressuposto de que o usuário de um aeroporto é um privilegiado. Uma família de três pessoas até Cumbica pelo Expresso Aeroporto vai pagar R$ 105, mais o preço do transporte até a estação de partida do trem. Se essa mesma família for de táxi, pode gastar até menos saindo da porta de sua casa, e sem o aborrecimento de carregar malas. Infelizmente, com o preço escorchante previsto para a tarifa do Expresso Aeroporto, o táxi continuará sendo a única opção para Cumbica, o que é uma vergonha para uma cidade do tamanho de São Paulo.LUIZ AUGUSTO MÓDOLO DE PAULASão PauloPerigo em CamposA cidade de Campos do Jordão, polo turístico de São Paulo, está totalmente desprotegida, à mercê de assaltos. O policiamento somente é intensificado na alta temporada e, mesmo assim, há ocorrências criminais. Imagine o que ocorre fora da temporada, quando a segurança é precária. A geografia da cidade favorece o controle, mas ela está abandonada. Não posso acreditar que, com os altos impostos pagos pelos cidadãos, os administradores não consigam investir em segurança. HELOISA A. MARTINEZSão PauloProblemas no ?sistema?Fiz inspeção veicular em 25 de abril e, no dia 27, fui licenciar o veículo. Após pagar multas e a taxa para licenciá-lo, fui informada de que eu não poderia fazê-lo porque a Controlar, empresa responsável pela inspeção, não havia enviado ao Departamento de Trânsito (Detran) a informação de que meu carro havia sido aprovado na inspeção. Apresentei, então, o comprovante, mas o Detran não o aceitou, alegando que, como tudo é informatizado, precisava receber a informação pelo "sistema". Funcionários do Detran pediram para que eu entrasse em contato com a Controlar. Liguei para a empresa, que me pediu para ligar para a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, que então informou que a Prodam, responsável por processar a informação, poderia estar com problemas e não me passou um prazo para o envio dos dados. Como se não bastasse, voltando do Poupatempo, ouvi no rádio que o prefeito Kassab está anistiando os cidadãos que não licenciaram seus carros de 2006 para cá. Estou pensando seriamente em me tornar uma má cidadã! PATRÍCIA MARTINSSão PauloMônica Ribeiro, da Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, informou que a comunicação entre os bancos de dados da Inspeção Veicular e do Detran pode levar até 72 horas para ocorrer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.