Cartas

"Funil" na Raposo?O governo de São Paulo está gastando milhões para melhorar os pontos de ônibus da Rodovia Raposo Tavares. Parabéns! Mas há um "funil" no quilômetro 16,5 da rodovia até depois do quilômetro 17,5. Os veículos que vêm das duas pistas da marginal da Raposo, por onde passam os ônibus, e os carros que vêm das três pistas da Avenida Politécnica têm de disputar a única pista de rolamento para ingressar na Rodovia Raposo Tavares. A pista nova que está sendo construída no quilômetro 17 até o 17,5 não anulou essa "garganta" onde há muito congestionamento, pois a nova pista se abre somente depois dela e somente para um veículo. Ora, com um pouquinho mais de esforço e dinheiro, esse "ponto funil" pode ser solucionado apenas com a construção de um muro de arrimo no local, alargando os 20 metros do ponto de passagem. WALDECY ANTÔNIO SIMÕESSão PauloA Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado dos Transportes responde que o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) esclarece que tecnicamente como também por medida de segurança, toda a ligação de vias deve dar acesso a apenas um veículo. Portanto, seguindo essa norma, a ligação existente entre a Avenida Politécnica e a Rodovia Raposo Tavares é adequada. Para facilitar o motorista que trafega pela Rodovia Raposo Tavares, sentido Cotia, e segue até o próximo retorno, no quilômetro 17,5, o Departamento de Estradas de Rodagem está construindo a quarta faixa que será exclusiva para quem precisa apenas retornar. As obras incluem ainda a instalação de uma baia de ônibus nessa nova faixa, a fim de desafogar o trânsito naquele trecho.Parada GayConcordo com o prefeito Gilberto Kassab: a Avenida Paulista é inadequada para abrigar a Parada Gay. Sugiro o Sambódromo. Além dos problemas de violência, muitos pais levaram bebês e crianças pequenas para o evento. Deveria ter uma idade mínima para a participação.MARCOS AUGUSTO LIMASão PauloFiquei triste e chocada com as cenas de violência na Parada Gay. Mas fiquei perplexa ao saber que há pessoas em estado grave no hospital por espancamento e que os responsáveis pelas brigas não irão lembrar o que fizeram no dia seguinte, nem serão presos. Sugiro que, para 2010, a cidade seja "presenteada" pela falta do evento e que a comemoração seja consagrada apenas com manifestações culturais, debates sobre o tema e festas. Além de servir como um "baque" para a população paulistana "se mancar" que São Paulo vai continuar perdendo, se as coisas continuarem desse jeito! A outra sugestão é que o evento seja feito no sambódromo: onde os policiais poderiam fiscalizar melhor, coibir a entrada de bebidas alcoólicas e de marginais. SAMANTHA MESTERSão PauloVale-transporteMeu Bilhete Único sempre está carregado entre R$ 300 e R$ 400 por mês. Todas as vezes que preciso, passo as passagens para meus filhos, menores de idade. No dia 8 de junho, meu filho teve de esperar meia hora para poder reutilizar o Bilhete Único. Ele entrou em desespero, pois estava com o dinheiro contado. Liguei para Ouvidoria da SPTrans e me informaram que o cartão, como vale-transporte, só pode ser usado do trabalho até a casa e vice-versa. A atendente da prefeitura informou que, por causa de alguns fraudadores, todos irão pagar. Isso é justo?MARGARET GORI MOURO São PauloA Assessoria de Imprensa SPTrans explica que a SPTrans cumpre uma lei federal que diz que o vale-transporte é um benefício individual e intransferível, criado exclusivamente para o trajeto casa-trabalho e trabalho-casa.No caminho da serraMoro na Serra da Cantareira e uso a estrada que liga a Avenida José Ermírio de Moraes, na Vila Albertina até a divisa de Mairiporã, no alto da serra. Estou indignado com a péssima qualidade dos serviços prestados pela Subprefeitura Tremembé/Jaçanã que, ao invés de conservar essa estrada, instalou guias e sarjetas deixando as árvores com as raízes expostas. Também não tiveram o cuidado de nivelar as guias e sarjetas instaladas no local com o leito trafegável. A falta de um critério de qualidade no serviço criou uma sucessão, sem fim, de buracos e degraus que trazem riscos a quem trafega pela estrada. Pergunto se na subprefeitura, onde esse projeto foi aprovado, não há critérios de fiscalização no controle de qualidade do serviço e se irão refazer esse trabalho malfeito?PAULO R. KHERLAKIANMairiporãA Prefeitura não respondeu.

, O Estadao de S.Paulo

18 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.