Cartas

Programa de fidelidadeHá meses tento seguir os procedimentos determinados pela TAM para que a pontuação decorrente de voos com companhias aéreas parceiras seja efetivada no Programa Fidelidade. Após várias tentativas frustradas e envio de diferentes documentos comprobatórios, concluo que a entrada da TAM no programa Star Alliance, ou mesmo a parceria com companhias aéreas específicas, se constitui golpe de marketing. Em novembro do ano passado, voei para os Estados Unidos e Londres pela United Airlines e a TAP Portugal. Apresentei meu cartão fidelidade da TAM no check-in para que as devidas milhas fossem computadas. Mas nada foi registrado. As companhias não possuem sistema de comunicação integrado, não mantêm registro de passageiros, agências de viagem usam sistemas online temporários para e-tickets e, acima de tudo, os próprios bilhetes aéreos não têm todas as informações que identifiquem o passageiro, voo e categoria tarifária, necessárias para a requisição de pontuação, caso todos os passos anteriores falhem. Ao invés de receber benefícios por ser "fiel" à TAM, perdi milhas, meu tempo, a paciência e a confiança na empresa.FABIO FELDMANNSão PauloCarla Dieguez, gerente de Relações com Imprensa da TAM Linhas Aéreas, informa que as pontuações referentes aos voos do sr. Feldmann com a United Airlines e a TAP Portugal já foram creditadas em sua conta corrente do Programa TAM Fidelidade. O acordo de parceria entre as companhias prevê pontuação diferenciada, que depende da tarifa em que o bilhete foi adquirido, e a análise de documentos é imprescindível.Só se acontecer algoLiguei para a Eletropaulo para avisar de um iminente perigo e o atendente disse que a empresa não pode fazer nada, somente depois que tiver acontecido alguma coisa! Antes, não. Na Rua Engenheiro Oscar Americano, Cidade Jardim, na altura do n.º 397, perto de um escadão, tem um tronco de árvore quebrado que está apoiado em um cabo da Eletropaulo, o que é perigoso para quem passa no local. REGINA LARASão PauloA AES Eletropaulo informa que após verificação feita no local concluiu que a árvore em questão está apoiada sobre a rede de iluminação pública. A concessionária esclarece que a responsabilidade da poda de árvores é da Prefeitura Municipal, já que a distribuidora não tem autorização ambiental para fazer o serviço. Dessa forma, explica, o pedido deve ser feito para a Subprefeitura do Butantã, responsável pela região.A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, no dia 19, informou que o serviço de poda da referida árvore está sendo providenciado para até 10 dias.Agência reguladoraÉ impressionante a quantidade de reclamações de consumidores insatisfeitos e lesados pelas empresas de telecomunicação. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) não regula absolutamente nada. Sou mais um lesado nesse mundo de lesados. Paguei por um serviço e sou contemplado com outro que, na caradura, me rouba dinheiro alegando cláusulas contratuais, escritas em letras de fonte pequena num contrato que nem sequer me foi dado. Cláusulas são "esquecidas" por todos os atendentes e, quando as questionamos, elas são jogadas na nossa cara. Multas absurdas de fidelidade são cobradas. O consumidor fica aprisionado e o "ladrão" tem licença governamental para roubar. ALAN ANDRADE VASCONCELLOSSão PauloTrânsito no M?Boi MirimGostaria de saber dos órgãos competentes por que a frente do Hospital M?Boi Mirim virou estacionamento, se o local poderia ser usado para diminuir o engarrafamento, que é constante. ROBERTO OTAVIANOSão PauloAdele Nabhan, do Departamento de Imprensa da CET, informa que o local mencionado faz parte da obra de duplicação da Estrada do M?Boi Mirim, à cargo da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Siurb). A fim de melhorar a fluidez nessa via, esclarece, a CET mantém diariamente equipes de fiscalização e monitoramento e, no pico da manhã, adota faixa reversível no sentido bairro-centro.Pedestre não tem vezO prefeito deveria percorrer o trajeto entre a Estação Cidade Jardim da CPTM e o Jockey Club de São Paulo. Atravessar as alças de acesso da Ponte Cidade Jardim é um verdadeiro calvário para quem está a pé. Nessa nobre região de São Paulo, pedestre simplesmente não tem espaço. ERNESTO PRIOSTESão Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.