Cartas

Problema contínuo Há três anos devolvi meu aparelho do Sem Parar/Via Fácil, paguei a última fatura e mudei de país. Para mim, havia se encerrado o relacionamento com essa empresa, mas qual não foi a minha surpresa quando começaram a aparecer débitos do Sem Parar na minha conta corrente, precisamente em novembro e dezembro de 2006. Entrei em contato com a empresa nesse mesmo mês e, desde então, tento ser ressarcido por essa fraude (protocolo n.º 5288946 - hoje estou no protocolo n.º 12984249). Já mandei cópia do extrato do banco mostrando o ocorrido, sem sucesso. Quero que os usuários deste serviço fiquem atentos ao perigo de fraude dessa empresa, como ocorreu comigo. No momento em que eles têm acesso à sua conta corrente, podem tudo. MANOEL DIEGUES NETO São Paulo O gerente de Atendimento ao Cliente Sem Parar/ Via Fácil, Bartolomeu Corrêa, em resposta à reclamação do sr. Diegues Neto, informa que a empresa providenciou o ressarcimento devido e entrou em contato com o cliente para esclarecimentos. E diz que está à disposição para fornecer quaisquer outras informações. O leitor contesta: Primeiramente muito obrigado, finalmente eles entraram em contato e disseram que iam fazer o depósito do valor devido, mas isso não ocorreu até hoje. Acredito que tudo é possível vindo dessa empresa, mas o mais interessante é que, de repente eles quiseram mostrar competência depois de quase três anos, já que, por milagre, admitiram que o o erro foi deles. Continuo achando que não são sérios e nunca mais usarei esse serviço. Gripe A sob controle Gostaria de saber quais providências estão sendo tomadas com relação ao surto da gripe A na cidade de São Paulo. Achei muito interessante e eficiente a atitude da cidade de Osasco, de implantar barracas de atendimento com o apoio do Exército. Essa medida evita aglomerações e possível contaminação de quem está nos hospitais com outro tipo de problemas. Temos de tomar providências, antes que esse problema se torne insustentável e fora de controle. ADEMIR F. KLEIN São Paulo A Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo informa que a rede municipal da cidade dispõe de 815 equipamentos de saúde. O uso de barracas, tendas e contêineres é uma ação indicada pelo Ministério da Saúde aos municípios brasileiros que não contam com uma rede ampla de atendimento básico. Até o momento, na capital, não se fez necessária a adoção de outros pontos para atendimento à pandemia da gripe A (H1N1). As 115 AMAs estão funcionando aos domingos, das 7 às 19 horas, desde o dia 26 de julho. A medida visa a garantir e a ampliar o atendimento da população com sintomas de gripe, durante os fins de semana. As unidades básicas de saúde (UBS) continuarão atendendo, normalmente, de segunda a sexta-feira. A Secretaria esclarece que está assistindo e monitorando todos os casos suspeitos e confirmados de pacientes com H1N1 no Município, conforme protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde. Qualidade do transporte É um absurdo restringir a circulação dos ônibus fretados. É uma medida radical e carente de estudos mais sérios, pois está prejudicando milhares de pessoas. E o pior é que a Prefeitura não conseguiu até hoje oferecer ao trabalhador um meio de transporte público digno e decente. JOSÉ MILLEI São Paulo Sinalização de vias Há anos os moradores da Rua da Consolação e da Alameda Franca solicitam um farol no cruzamento dessas ruas, pois os carros descem em grande velocidade tornando difícil a travessia. O percurso é muito utilizado por médicos e pacientes do Hospital das Clínicas, pois está próximo ao viaduto de travessia de pedestres da Avenida Rebouças. Todas as solicitações até agora foram desconsideradas pelos órgãos de trânsito. A via se tornou uma verdadeira pista de corrida, os carros descem em alta velocidade desde a Alameda Jaú até a Alameda Lorena. Há muitos acidentes e atropelamentos por falta de farol. MARIA MARTA KEPPLER São Paulo O Departamento de Imprensa da CET da Gerência de Marketing e Comunicação informa que, com base em vistoria e análise técnica, o Departamento de Sinalização elaborou projeto para instalar um sinal no cruzamento da Rua da Consolação e a Alameda Franca para melhorar as condições de segurança e evitar acidentes.

, O Estadao de S.Paulo

11 Agosto 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.