Cartas

Erro em cadastro bancário... Tenho conta bancária desde 1972 e, nesses 37 anos, nunca emiti um cheque sem fundos. No dia 13 de julho, fui surpreendido com um telefonema de meu gerente do Banco do Brasil pela manhã, informando que meus cartões de crédito do banco estavam bloqueados, porque um cheque do Banco Regional de Brasília (BRB), conta que encerrei há mais de oito anos, havia sido devolvido. Constatei que, apesar de ter-me retirado da conta corrente em que era o segundo titular, no sistema desse banco eu ainda constava como correntista. Fiz reclamação ao SAC do BRB e a resposta que recebi foi: "A agência Comercial Sul informa que foi verificado pelo microfilme que o cheque foi emitido pela ordem 01 da conta..." e que "estão providenciando a exclusão de seu nome do CCF" (Cadastro de Emitentes de Cheques Sem Fundos). Nem sequer se desculparam. A resposta foi lacônica e, ao que tudo indica, ainda me consideram correntista do banco, já que há responsabilidade solidária em contas conjuntas. São meias-verdades e não há admissão do erro grave cometido pela instituição bancária. SERGIO FRANCISCO MURTA NOBRE São Paulo O BRB-Banco de Brasília S.A. esclarece que já providenciou a devida exclusão do nome do sr. Nobre do Cadastro de Emitentes de Cheques Sem Fundos, cuja inclusão se deu em virtude de problemas de vinculação de cadastro. Diz que a Ouvidoria-Geral do Banco tentou entrar em contato com o leitor, sem sucesso, e, por isso, lhe enviou uma mensagem eletrônica com os devidos esclarecimentos acerca do assunto, com um pedido de desculpas em nome do BRB. Ameaça não é crime Em Perigo na Paulista (12/8), o leitor sr. Mário Araújo fala sobre o perigo nessa avenida e em suas imediações à noite. Diz que trombadinhas, moradores de rua, drogados e desocupados abordam os transeuntes, ameaçando-os para obter dinheiro e outros pertences. A Polícia Militar (PM) respondeu que o esquema de segurança é adequado com policiais, ronda de motos e veículos, mas nada pode fazer sem que haja crime. O que o sr. Araújo não sabe e, como ele, a maioria da população, é que ameaça não é crime. Só após a consumação do ato, ou seja, quando o desinformado cidadão está no chão se esvaindo em sangue, é que se pode apresentar a denúncia e, neste caso, a PM pode agir. O atacante, no caso, é elevado à categoria de suspeito. Está claro? DAGOBERTO ARANHA PACHECO São Paulo Confusão sem tamanho Em agosto do ano passado, minha mulher, que era titular de uma linha de telefone da Telefônica, faleceu. No início deste ano, entrei em contato com a empresa para transferir a titularidade. A resposta que obtive era de que eu iria receber um formulário pelos Correios, que deveria ser preenchido e devolvido. Como nada recebi, voltei a pedir o referido formulário. Disseram que eu poderia retirá-lo em uma agência da Telefônica no Poupatempo ou esperar que ele chegasse em casa. Em julho, recebi 300 envelopes da empresa (eu os contei) dirigidos à minha falecida esposa! Ao entrar em contato novamente, a informação que tive foi que "em um deles deve estar o formulário". Concluo que a Telefônica não está perdida somente no "Speedy", mas em toda a sua administração. GABINO ANTONIO ORIENTE São Paulo A Telefônica informa que entrou em contato com o leitor sr. Gabino para esclarecer sobre os procedimentos e os documentos necessários para a mudança da titularidade da linha. A empresa lamenta e pede desculpas pelos transtornos causados ao cliente. A sra. Ana Laura, filha do sr. Gabino, disse que irá buscar o formulário numa agência da Telefônica. Perigo na estrada Sou morador da Serra da Cantareira e, todos os dias, trafego na estrada que liga o bairro Vila Albertina até a divisa de Mairiporã no alto da serra, onde está o núcleo das Águas Claras. A Subprefeitura de Jaçanã/Tremembé instalou de forma irresponsável e sem o mínimo cuidado guias e sarjetas, transformando essa estrada num tormento de buracos e degraus que estão destruindo os carros. Os veículos sempre precisam ir às oficinas para balanceamento de rodas, alinhamento de direção, etc. Desmataram também as árvores nativas! Recentemente, houve um acidente com vítimas fatais, quando um carro foi desviar dos buracos e bateu de frente com outro. A quem devo enviar a nota das despesas de oficina e quando irão consertar a estrada? AMÂNCIO LOBO São Paulo A Subprefeitura de Jaçanã/Tremembé não respondeu.

, O Estadao de S.Paulo

18 Agosto 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.