Cartas

Atendimento a deficientes Assinei a NET e no dia 15 de julho foi feita a instalação da internet e da TV a cabo. Mas, assim que o técnico saiu, todos os canais saíram do ar. Sou surda e faço leitura labial, por isso não falo ao telefone. E como a NET só efetua vendas e assinaturas por telefone, todo o processo da minha assinatura foi feito por uma amiga, que ligou para a empresa, passou meus dados, fez minha assinatura, agendou a instalação, etc. Ela gastou uma boa parte do tempo fazendo este favor. Tentei, então, resolver o problema pela internet. A funcionária, mesmo sabendo que sou surda, informou que eu deveria ligar para a Central de Atendimento. Repeti o problema e ela respondeu para eu tentar o atendimento pessoal no site, entretanto, ninguém responde! Escrevi também para a Ouvidoria, mas não sei se irão retornar. Não é possível que uma empresa do porte da NET não tenha um canal de atendimento pela internet que verdadeiramente funcione. Será que vou ter de ficar pedindo favores aos outros para ligar na central? Isso é um desrespeito ao consumidor com deficiência auditiva. A única saída que eu vejo é cancelar a assinatura que contratei, informar à mídia sobre esse desrespeito e registrar queixa no Procon, assim como tomar as medidas judiciais cabíveis. MARCELA JAHJAH São Paulo Andrea Campos, da Gestão de Clientes da NET São Paulo, esclarece que, no dia 14 de agosto, prestou as informações referentes à solicitação da cliente pelo correio eletrônico. A leitora comenta: Parece que o problema foi resolvido. Insegurança Estou cansada de tanta impunidade. No dia 23 de julho fui assaltada embaixo do viaduto da Avenida Brigadeiro Luiz Antônio. Os assaltantes quebraram o vidro do meu carro e roubaram minha bolsa, aproveitando o engarrafamento. Levaram todos os meus documentos. Fiquei indignada, pois, quando cheguei na 18.ª Delegacia de Polícia, fui informada de que na semana anterior haviam assaltado outras três vítimas no mesmo local. Não consegui fazer o Boletim de Ocorrência (BO) e retornei no dia seguinte, em vão. Tive de me dirigir à 57.ª Delegacia de Polícia, onde fui prontamente atendida. Mas, se já havia ocorrência de assalto no local, por que não havia nenhum policiamento? Se for tão banal e fútil um roubo, por que temos de fazer BO? Perdi dois dias de trabalho para resolver esse problema e até o momento não sei se realmente estão fazendo alguma coisa. Espero que esse e-mail não resulte somente em desabafo, mas seja um meio para a melhoria dos serviços públicos ao cidadão. DAILENE FELIX São Paulo A Secretaria da Segurança Pública não respondeu. Folgas do Judiciário No dia 10 de agosto fui ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE/SP), na Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, n.º 453. Cheguei lá às 12h10, já que o horário de atendimento é das 12 às 19 horas. Havia uma fila e as portas estavam fechadas. Depois de algum tempo, alguém da rua disse que o tribunal não abriria nos dias 10 e 11 de agosto, por conta do Dia do Advogado. Além de não se justificar tal medida, não havia sequer uma comunicação ao público e muitas pessoas que foram ao tribunal deixaram de trabalhar naquele dia para lá comparecer! GILBERTO VILLAS BOAS DO PRADO São Paulo A Assessoria de Comunicação Social do TRE-SP informa que o feriado do dia 11 de agosto foi instituído em 1966 pela Lei Federal n.º 5.010, em homenagem à Instituição dos Cursos Jurídicos no Brasil. Acrescenta que a divulgação do feriado foi realizada, como em anos anteriores, pelo site do TRE (www.tre-sp.jus.br - Notícias) e por nota distribuída aos veículos de comunicação. O leitor comenta: Acho que eu não fui claro. O TRE estava fechado no dia 10 de agosto, segunda-feira. Parece-me que, mesmo no dia 11, alguma informação deveria estar disponível na porta do prédio. Nem todos têm acesso à internet. Leite em falta? Gostaria de saber por que a Prefeitura de São Paulo atrasa pelo menos dois meses para entregar o leite na creche do CEU do Butantã. De quem é a culpa por esse enorme atraso, da Prefeitura ou da empresa fornecedora do leite? A gestão Kassab deve uma explicação às famílias beneficiárias desse programa. Estamos em agosto e até o momento ainda não recebemos o leite do mês de junho. PAULO HENRIQUE NASCIMENTO São Paulo A Prefeitura não respondeu.

, O Estadao de S.Paulo

20 Agosto 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.