Cartas

Casal idoso têm de carregar a água em baldes: Sabesp diz que pressão é normal

O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2004 | 00h00

Água: falta de pressão Tenho 73 anos e há mais de um ano tenho de carregar baldes d''''água para encher a máquina de lavar. Já contatei a Sabesp, mas os técnicos que estiveram em casa não detectaram nenhum problema. Se não há problema, por que a pressão não faz com que a água chegue à máquina? Os vizinhos têm o mesmo problema, e acreditam que a causa é a construção da estação na Prof. Francisco Morato. Peço solução porque meu marido (84 anos) e eu sofremos muito para carregar os baldes. MARLENE ZUCARELLO Caxingui A Sabesp responde: ''''Na vistoria do dia 10/7 os técnicos não encontraram a moradora no n.º indicado, mas mediram a pressão da água, que foi de 10 mca (metro por coluna d''''água), considerada normal. Como medida preventiva e para melhorar o fornecimento no local e adjacências, fizemos obras de reforço no sistema de abastecimento na 1.ª quinzena de agosto, resultando no aumento de pressão da água fornecida para a região (resposta de 16/7).'''' MILTON DE OLIVEIRA Superintendente - Uni Negócio Oeste Está sobrando água: esta é nossa conclusão ref. ao descaso da Sabesp com o vazamento na Rua Pierre Bienvenu Noailles, Imirim. Comunicamos o caso em 6/6 e nos queixamos à Ouvidoria. Resolvam logo, por favor, a natureza agradece. JOSÉ ROBERTO BOTTEON Imirim A Sabesp responde: ''''O reparo foi feito em 30/6.'''' JOSÉ JÚLIO PEREIRA FERNANDES Superintendente - Uni Negócio Norte Carta 19.069 Casa sem esgoto Estou reformando uma casa na Rua Portugal, Jardim Europa e não consigo verificar o estado do esgoto na Sabesp. Fui mal atendido na Sabesp Poupatempo Sé, onde disseram que não há como verificar, por não terem as plantas da região. Mesmo assim, um técnico esteve duas vezes na casa e disse que é melhor fazer uma nova ligação de esgoto, porque ''''não localizou nenhuma''''. Em 18/5 fiz novo pedido, e outro técnico, que fez nova vistoria, mostrou a planta da região e disse que está tudo em ordem (isso após o encanador cobrar R$ 5 mil pelo serviço). Mas como a profundidade do novo esgoto seria de 1,20 m, foi preciso fazer novo estudo. Em 30/5 voltei à Sabesp e paguei uma taxa de R$ 35. Outro técnico disse que o nível de diferença com a rua deveria ser de no mínimo 60 cm e, segundo ele, estava a 1,90 m. Até agora (21/6) sou refém de uma decisão da Sabesp. Como vendi o imóvel onde moro, tenho de mudar até 23/7, mas apesar dos meus insistentes telefonemas eles nada fazem. Isso sim é desrespeito com o consumidor. Além de todo o aborrecimento, vou ter de pagar R$ 250 pela nova ligação de esgoto. PAULO ROMANINI RESSTOM Jardim Europa A Sabesp responde: ''''Temos mapeamento apenas das redes coletoras de esgoto, não dos ramais domiciliares. No caso, o esgoto era ligado a uma rede que passava em frente à casa. Por ser impossível localizar o antigo ramal, o cliente pediu uma nova ligação. Uma equipe da Sabesp fez uma vistoria em 22/6, para avaliar se a instalação era adequada à nova ligação, e o cliente foi orientado, no dia 25, com base no resultado do estudo técnico, a fazer as correções que se mostraram necessárias para, posteriormente, nos pedir uma nova vistoria.'''' FRANCISCO JOSÉ F. PARACAMPOS Superintendente - Uni Negócio Centro O leitor informa que o problema foi resolvido na primeira quinzena de julho, e que já está morando na casa desde o dia 26/7. Sempre que possível, economizo água e sigo as recomendações da Sabesp - portanto, fico indignada com o descaso mostrado em relação a um vazamento na minha rua (carta de 13/8). Meus vizinhos e eu encaminhamos várias reclamações à empresa, mas até o momento nenhuma providência foi tomada. A água, pura e tratada, corre pela rua. Além do desperdício, fico preocupada com o fato de o vazamento estar aumentando, pois certamente está tirando a terra por debaixo do calçamento, que pode ruir a qualquer momento, causando algum acidente. Há ainda o perigo de derrapagem dos carros, porque a Rua Progressista tem declive acentuado e o calçamento é de paralelepípedos. MÁRCIA VIGNON GUIMARÃES RIOS Santa Terezinha A Sabesp responde: ''''Em 20/8 reparamos a rede de água e eliminamos o vazamento apontado por d. Márcia.'''' JOSÉ JÚLIO PEREIRA FERNANDES Superintendente - Uni Negócio Norte Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para sprec@estado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.