Cartas

Carta de apoio à Sub Sé - e Sub Pinheiros acolhe denúncia de faixa

O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2011 | 00h00

Centro sujo - e Sub Pinheiros Os fatos relatados por Paula Pouge no dia 5 (Cidade suja) mostram sem exagero a triste realidade do centro de São Paulo. Outra região, ao lado da Praça da Sé e do Fórum João Mendes Jr., na Av. da Liberdade, também está comprometida. Moradores de rua vivem e fazem suas necessidades no local. Aliás, foi por isso que colocaram grades em volta dos espaços abertos da Catedral da Sé e do Fórum. Passear a pé pelo local é um suplício; barracos foram construídos na praça ao lado do maior Fórum Cível e de Família da América Latina, cuja freqüência passa de 10 mil pessoas por dia. Algo precisa ser feito para restabelecer a ordem e beleza da região. Sugiro a construção de sanitários públicos em pontos estratégicos, pois o que se vê no Centro dificilmente é visto em outra grande cidade. FRANCISCO ANTÔNIO BIANCO NETO Fazenda Morumbi Fiz queixa na Sub Pinheiros, dia 20/8, sobre uma faixa publicitária anunciando a venda de um imóvel com telefone e página na internet. Hoje, 26/8, a faixa continua no mesmo lugar. RUI TAVARES MALUF Capital A Sub Pinheiros responde: ''''Agradeço ao sr. Rui pela colaboração. Retiramos a faixa no dia 28. A luta para limpar a cidade de faixas e banners irregulares é intensa; removemos mais de 2.500 nestes últimos três meses, somente na região da Sub Pinheiros. Denúncias como esta podem ser feitas aos e-mails nnachle@prefeitura.sp.gov.br ou pinheiros@prefeitura.sp.gov.br.'''' NILTON ELIAS NACHLE - subprefeito Carta 19.085 Largo do Paiçandu Gostaria de saber se o secretário Andrea Matarazzo tomará alguma providência em relação ao Largo do Paiçandu, talvez o lugar mais sujo do Centro. Recentemente vi mais de 40 ambulantes no local, inclusive vendendo alimentos. Há um verdadeiro acampamento de pessoas que lá dormem e usam os cantos da igreja como banheiro, e área é também ponto fixo de prostitutas. Às 6.ªs feiras, um grupo de forró toca na praça. Deveriam mudar o terminal de ônibus para o Terminal Princesa Isabel, pois ele não comporta a quantidade de ônibus que recebe (que ficam um atrás do outro em fila dupla). Na porta da SM da Cultura (antiga Galeria Olido), vendedores de óculos contrabandeados fecham a calçada com as bancas, enquanto a Guarda Municipal nada faz. Sei que esta carta não terá nenhum efeito prático, como as queixas que fiz pelo tel. 156. ROBERTO GERONIMO Largo do Paiçandu O secretário Matarazzo responde: ''''Concordo com o leitor que o Largo do Paiçandu estava deteriorado. Por isso, a Sub Sé desenvolveu um projeto paisagístico para o local e, em um mês (resp. do dia 2/8) deve assinar termo de cooperação com uma grande empresa para revitalização e manutenção da área verde do largo. O trabalho de limpeza também é constante, pois o local é lavado duas vezes ao dia e equipes de varrição percorrem a área várias vezes durante o dia. O problema é que comerciantes põem lixo nas calçadas fora do horário da coleta. O combate ao comércio irregular é uma das prioridades desta gestão. Só no ano passado, a Guarda Civil Metropolitana fez cerca de 150 mil apreensões de produtos irregulares no Centro. A mudança de lugar do terminal não é possível, uma vez que o Terminal Princesa Isabel já opera com capacidade máxima. As equipes de assistência social da Sub Sé e da Secr. de Assistência e Desenv. Social fazem um trabalho conjunto com os moradores de rua. Apesar das abordagens dos 173 agentes que trabalham dia e noite no Centro, muitos não querem ir para os albergues ou acabam voltando para as ruas. E não podemos obrigá-los a aceitar o encaminhamento.'''' ANDREA MATARAZZO Secretário das subprefeituras e subprefeito da Sé O leitor comenta: Agradeço ao jornal por enviar minha carta, mas a resposta tem lacunas. Não fala na retirada das prostitutas nem dos ambulantes, ou sobre os guardas municipais que nada fazem com eles. Talvez mudem algo para que tudo fique como está, mesmo porque já escuto essa história há muito tempo. Minha família e eu agradecemos à equipe do Hospital da Aeronáutica, na Avenida Olavo Fontoura,São Paulo, pelo tratamento exemplar prestado a meu irmão, o Segundo Sgto. Celso de Oliveira, que morreu em 29/7. Que todos aqueles que trabalham diretamente com pessoas sigam este exemplo de dedicação e solidariedade para trabalharem da melhor forma possível. Que Deus os ilumine. DELMA DE OLIVEIRA Uberaba/MG Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para sprec@estado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.