Cartas

Projeto de corredor em Santana gera protestos, mas SMT realizará consulta

O Estadao de S.Paulo

25 Setembro 2007 | 00h00

Novos corredores de ônibus É descabida a idéia de fazer um corredor de ônibus na Avenida Brás Leme (Santana). Num dos seus lados fica o Campo de Marte, do outro prédios e o centro esportivo do Jd. S. Bento, servidos por linhas que passam pelas Ruas Leão XIII e Alfredo Pujol, além de outras da Casa Verde. Poucas linhas de ônibus usam a Brás Leme na totalidade. Ela é uma das avenidas mais bonitas da cidade, com ótimo tráfego e espaço suficiente para os moradores da região fazerem suas caminhadas. JOSÉ RENATO NASCIMENTO Santana Repudio o plano de construir um corredor de ônibus na Brás Leme, área bem cuidada e acolhedora. O canteiro central é bem tratado, com árvores, jardins, bancos e trilhas para caminhantes e ciclistas. Chamada de praia, ela permite ver a vegetação baixa que cerca a pista do aeroporto, no limite dos edifícios do centro, ao longe. No lado oposto, a pista é marcada por mata. À noite podemos até ver as estrelas. Uso o transporte público, mas é preciso avaliar o impacto social, ambiental e urbano. Na Brás Leme e na Sumaré, qualquer mudança que estrague a vocação urbanística desses lugares deve ser rechaçada como retrocesso. REGINA ROCHA - Jd. São Paulo A SMT responde: ''''Os projetos de construção de novos corredores de ônibus estão em estudos na SPTrans, mas nenhuma obra será iniciada antes de a população ser esclarecida e consultada formalmente. Somente após a realização de uma audiência pública esta Secretaria poderá decidir se os corredores irão realmente ser construídos.'''' Carta 19.126 E mais dúvidas Minha pergunta é sobre os novos corredores de ônibus que serão instalados na cidade, um deles na Avenida Sumaré. Onde é que ele será, se do lado do canteiro central há uma pista de motos, e as pistas da direita, nos dois sentidos, servem para estacionar? As duas pistas que sobraram depois da criação da faixa de motos são para carros. Então sobrará apenas uma pista para eles? Por que acabar de vez com uma avenida tão agradável, arborizada, usada pelos moradores da região para lazer e exercícios, numa cidade já tão carente de áreas verdes? Não deveriam ouvir os moradores e comerciantes antes de tomar uma medida que afeta todos que circulam na área? Será que acham que o fluxo de carros diminuirá? Então reflitam sobre a Avenida Rebouças, hoje insuportável, com congestionamentos 24 hs por dia. MIRIAM X. OLIVEIRA Perdizes Foi com pesar que soube de mais um projeto da Prefeitura para prejudicar o trânsito na Av. Sumaré. Há menos de 12 meses (carta de 30/8) fizeram uma faixa de motos que não resolveu o problema dos motoqueiros e piorou o trânsito. Ao invés de construir uma passarela perto da universidade da região, para maior segurança dos alunos, puseram mais um semáforo. Resultado: o caos aumentou. E agora esse projeto... O que vai ser: uma faixa de ônibus, outra de motos e uma para carros? Vão derrubar as árvores do canteiro central? Não sei - mas a única certeza é que o corredor descaracterizará a avenida e piorará trânsito. Por favor, não mexam mais na Sumaré. Nós, moradores da região, não toleramos essa contínua degradação! EDUARDO ROCHA Perdizes Quem foi que teve a brilhante idéia de fazer uma pista exclusiva para ônibus na Sumaré? Ao que parece, querem acabar com uma avenida já congestionada. As esquinas íngremes de Perdizes ganharam semáforos, como os instalados na quadra da avenida com as Ruas Prof. João Arruda, Ministro Godoy e Vanderlei. Com a faixa de motos, a avenida já virou um caos. Alguém já calculou quantas motos, carros e ônibus circulam por lá? Essa avenida faz ligação com os bairros da Casa Verde, Freguesia do Ó, Jaraguá, Pirituba, Limão, Santana, Pinheiros, Jardins, Ibirapuera e Morumbi. E o fluxo de veículos piora dia a dia. Espero que as autoridades analisem o assunto cuidadosamente, para que a população não seja novamente prejudicada. MARIE TELLES Capital A SMT responde: ''''Os projetos de construção de novos corredores de ônibus ainda estão em estudos na SPTrans. E não iniciaremos nenhuma obra sem antes esclarecer e consultar a população formalmente sobre o assunto. Somente após a realização de uma audiência pública é que esta secretaria vai poder decidir se os corredores serão realmente construídos.'''' Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para sprec@estado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.