Cartas

Carta 19.280Necessidade prementeMinha filha de 18 anos tem paralisia cerebral e precisa de cuidados especiais. Ela recebia auxílio-doença, que foi bloqueado há 4 meses pelo INSS devido a um pedido de curatela. Fui ao Fórum da Liberdade, 34 para fazer o pedido ao juiz, mas ele apenas me pediu para esperar e não resolveu o caso. Fiz tudo o que era necessário, mas o INSS não libera o pagamento enquanto o juiz não assinar a curatela. Não tenho dinheiro para sustentar minha filha, vivo do apoio de amigos que me dão cestas básicas e me ajudam comprando leite e remédios.IVETE MARIA MOREIRAVila CarrãoO INSS responde:"O amparo previdenciário está suspenso pela não apresentação da curatela. A reativação do benefício só será possível mediante a apresentação desse documento. A curatela é o encargo que a lei confere a uma pessoa para dirigir outra, sem capacidade para os atos da vida civil ou com relativa incapacidade, podendo administrar os seus bens, mediante ato de nomeação conferido ao arbítrio do juiz. Antes da obtenção da curatela, é possível receber o benefício, por período não superior a seis meses, por meio de administração provisória a ser expedida pela autoridade judicial. A admistração provisória é uma autorização feita pelo herdeiro necessário para receber benefício de segurado ou dependente civilmente incapaz, em período não superior a seis meses, devendo ser preenchido/assinado o Termo de Compromisso. O período poderá ser prorrogado, desde que comprovado o andamento do respectivo processo judicial."Carta 19.281Atendimento demoradoParabéns pelo trabalho do jornal O Estado de S. Paulo. Em abril/06 entrei com pedido de aposentadoria na agência do INSS de São Miguel Paulista. Em maio, pediram documentos de uma empresa em que trabalhei, entregues em junho. Desde então escrevo para a Ouvidoria do INSS, sem que informem como está minha aposentadoria. Completei 37anos de registro em carteira em setembro.JOSÉ DE OLIVEIRA NETOLimoeiroO INSS responde:"Concedemos a aposentadoria em 19/10. O valor do período de 27/4/06 a 31/10 está à disposição desde o dia 6, na Caixa Econômica Federal da Av. Nordestina, 317, em São Miguel."Perdi meu filho, Eduardo, num acidente em out/2002. Após tomarmos todas as providências necessárias, o INSS concedeu pensão para a viúva, Elaine Nunes de Aguiar Zanella. Os meses de nov/02 a maio/03 não foram pagos, causando transtornos, já que se trata de pensão alimentícia essencial para o sustento da família.NILSON ZANELLA Bauru/SP O INSS responde:"D. Elaine entrou com ação judicial para receber o período de mencionado, e poderá acompanhar o andamento do processo pelo site do Juizado Especial Federal (http://www.jfsp.gov.br/jef)."Meu cunhado, Adalberto S. Bispo, precisou entrar na Justiça contra o INSS, em Goiás, em abril/05, para conseguir a aposentadoria. E até hoje (carta de 5/10) a sentença (do dia 3/4) não foi cumprida.JOSÉ SILVACajamar/SPO INSS responde:"A aposentadoria do sr. Alberto foi concedida em 11/10. O valor do período de 11/7/06 a 30/9/07 está à disposição, desde 30/10, na CEF/Loteria Trevo Azul, Rua 44, 399, sala 19, em Ferroviário, Goiânia. O pagamento é retroativo à data da sentença (11/7/06). O valor anterior a essa data será pago por precatório."É com respeito e admiração que nossa família se manifesta para agradecer o empenho, envolvimento e generosidade de médicos e enfermeiros do Hospital Sírio-Libanês no atendimento a Aparecida Conceição Pelegrini de Almeida (2002 a 2007). Obrigados em especial à equipe do dr. Antônio Carlos Buzaid, da dor e filantropia do HSL. Embora tivéssemos ciência de que seu estado era delicado, sempre alimentamos a esperança de tê-la por mais tempo conosco, ou que ela pudesse partir de forma digna e humanizada. E foi o que ocorreu. Quando um ente querido sofre com uma doença tão debilitante toda a família adoece junto, mas quando vemos que as equipes continuam a dar a importância e atenção que a pessoa merece, mesmo sabendo da impossibilidade de seguir por muito tempo mais, nos sentimos mais forte para enfrentar o que vier.A família de APARECIDA CONCEIÇÃO PELEGRINI DE ALMEIDA - CIDINHA

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.