Carteiro desvia 2.500 correspondências no interior de SP

O carteiro Diose Ferreira Costa, de 18 anos, desviou pelo menos 2,5 mil correspondências da agência dos Correios de Severínia, na região de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. O crime vinha sendo praticado há 40 dias, mas foi confirmado só nesta quinta-feira, 8, quando um morador encontrou parte das correspondências jogadas num terreno baldio e comunicou a Polícia Militar. No terreno, localizado ao lado do Clube Recreativo de Severínia, havia cerca de 500 correspondências - entre cartas, contas de água, luz, telefone, cartões bancários e talões de cheques - que, devido ao tempo, foram abertas e danificadas por veículos que transitaram sobre elas. Na casa do carteiro, no bairro Cohab 2, os PMs encontraram outras 2 mil cartas não entregues, que estavam espalhadas pelo quarto ou colocadas dentro de caixas na sala. O carteiro, que prestava serviços terceirizados para os Correios e estava em período de experiência, disse à polícia que não conseguia entregar todas as cartas no mesmo dia por isso decidiu desfazer delas. "Como tinha com medo de ser demitido, jogou-as no terreno baldio ou escondeu em sua casa", contou o sargento da PM, Benedito Cadurim Lima Filho. Segundo Lima, 90% das correspondências eram endereçadas a moradores da região central da cidade, que há mais de 30 dias reclamavam da demora na entrega das correspondências, o que levou os Correios e a polícia a investigar o caso. A polícia quer saber agora se outras correspondências foram desviadas. Segundo a polícia, Costa vai responder inquérito por violação de correspondências, cuja pena de 1 ano e meio de detenção. Ela vai responder em liberdade porque, segundo a polícia, não foi preso em flagrante. Na tentativa de agilizar a entrega das correspondências desviadas, os Correios fizeram um mutirão convocando outros 10 carteiros de cidades vizinhas para trabalhar nesta sexta-feira e sábado.

Agencia Estado,

09 Fevereiro 2007 | 18h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.