Casa atingida por hangar em Congonhas será demolida

Uma das seis casas da Rua João Carlos Mallet atingidas pelo destelhamento de quatro hangares do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, foi condenada nesta quarta-feira, 4, após inspeção dos agentes técnicos da subprefeitura da Vila Mariana, segundo informações da Defesa Civil. O acidente ocorreu na tarde de terça-feira, 4, quando uma forte tempestade com mais de 200 raios e ventos de até 108 quilômetros por hora, equivalente a um ciclone tropical, atingiu a zona sul de São Paulo e causou o destelhamento dos hangares de quatro empresas no aeroporto de Congonhas. A casa que será demolida foi atingida pela estrutura metálica e telhas às 17h05 do galpão da TAM, ferindo levemente duas pessoas que trabalhavam na rua e a dona do imóvel. Os três sofreram ferimentos leves. Outras quatro casas ficaram danificadas - os moradores foram levados para um hotel na região. De acordo com a assessoria da TAM, a empresa se prontificou a pagar os danos físicos e materiais do proprietário da casa. Os custos da hospedagem dos moradores das seis casas serão pagos pela TAM. Os outros dois imóveis atingidos são de empresas, portanto, não houve necessidade de remoção de moradores. Os outros três galpões atingidos são de jatos executivos e helicópteros, segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), e pertencem às empresas Flamingo, Morro Vermelho e Première. Pelo menos cinco helicópteros e dois aviões de pequeno porte acabaram danificados.

Agencia Estado,

04 Abril 2007 | 13h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.