Casa da filha de Ibrahim Sued é roubada no Rio

Policiais da 15.ª DP fizeram hoje operações no morro de São João, no Engenho Novo, zona norte do Rio, em busca do traficante conhecido por Arati, acusado de ser o mentor do assalto à casa da estudante de jornalismo Isabel Sued, filha do colunista já falecido Ibrahim Sued. O crime aconteceu por volta das 15 horas de ontem e contou com a participação da empregada Marilene Corrêa da Silva, que trabalhava há três meses na casa de Isabel. Marilene e a irmã, Ivana, que também trabalhou na casa, foram presas logo depois de a empregada ter confessado ao delegado-adjunto Antônio Ricardo que facilitou a entrada dos ladrões. Com a ajuda do fuzileiro naval Leonardo Nascimento, também foragido, Arati aproveitou a ausência de lsabel e do marido, o empresário Ricardo Wassiman, para assaltar a residência do casal, na Rua Sérgio Porto, na Gávea, zona sul. Eles levaram um cofre, com jóias da família, além de 250 dólares. "O cofre ficava no armário do meu quarto e guardava relógios, jóias que meu pai me deu, enfim, coisas pessoais", disse Isabel. A estudante não quis entrar em detalhes sobre o assalto. "Foi uma coisa pequena, não levaram meu carro ou algo de maior valor, e a polícia ainda não encontrou os ladrões, por isso prefiro não dar depoimento sobre isso agora", justificou. Marilene e Ivana vão responder por furto qualificado e podem pegar de 2 a 8 anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.