Casa de ex-chefe da Polícia Civil é roubada

Nem os "cardeais" da Polícia Civil de São Paulo estão livres das ações de criminosos. A casa do ex-delegado-geral de polícia, Marco Antonio Desgualdo, foi invadida por três assaltantes, na manhã de ontem, no Campo Belo, zona sul. Os ladrões roubaram jóias e dinheiro. Antes de fugir num Renault Clio azul, agrediram a filha do policial e a empregada da casa. O roubo aconteceu às 10h45. Os assaltantes conseguiram entrar na residência após abordar a empregada, de 36 anos. Os ladrões estavam armados com pistola e revólveres. Um deles agrediu a socos e tapas a filha de 22 anos do ex-delegado-geral. Marina Desgualdo, mulher do ex-delegado-geral, não estava na casa no momento do assalto. Avisada, foi a primeira a chegar ao local. Marina telefonou para o 190 e ficou irritada com a demora da chegada dos policiais militares, mesmo morando perto de uma base da corporação e de ter deixado claro que é mulher do ex-chefe da Polícia Civil. Os PMs teriam chegado bem depois do Grupo de Operações Especiais (GOE), unidade de elite da Polícia Civil. Desgualdo foi delegado-geral durante oito anos, nas gestões dos secretários da Segurança Marco Petrelluzzi e Saulo Abreu. Hoje, exerce o cargo de delegado-assistente do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.