Casa de shows tira sossego de moradores da Lapa

A casa de shows Sampa Hall, o antigo Olímpia, está tirando o sossego dos moradores da Lapa, zona oeste de São Paulo. E o barulho é o de menos. O pior são as brigas pela madrugada. "Não temos coragem nem de colocar o nariz para fora da janela", disse uma moradora. Por conta das reclamações, a Subprefeitura da Lapa já autuou a casa duas vezes e agora pretende fechá-la.Mais de 40 boletins de ocorrência foram registrados nos Distritos Policiais da região - grande parte é de casos de depredação de imóveis, lesão corporal e furto. Na madrugada de domingo, um jovem de 17 anos levou uma garrafada no pescoço e morreu, quando saía do Sampa Hall. Afrânio Balbino estava alcoolizado quando começou a brigar com outro rapaz no meio da rua. O agressor não foi encontrado.O preço das bebidas é um dos grandes atrativos da casa de shows, que tem capacidade para 5 mil pessoas. Segundo a Polícia Militar, não haveria valor similar em outros estabelecimentos da cidade: cerveja, caipirinha, uísque, vodca e refrigerante custam apenas R$ 1 a dose. Como o ingresso é barato, a casa costuma lotar e muita gente fica na rua. Há dois finais de semana, 2 mil pessoas não conseguiram entrar e tentaram invadir a casa.A aposentada Nilza Misievisg, 65 anos, já acompanhou da janela de seu apartamento os atos de vandalismo. "É um filme de terror. Eles jogam tijolos nos policiais, quebram vidros de lojas, telefones públicos, lixeiras", contou. "Só dá para dormir depois das 5h30." Os moradores fizeram abaixo-assinados pedindo o fechamento da casa. A Subprefeitura da Lapa encaminhou as reclamações ao Ministério Público. Também solicitou à Receita Federal e à Polícia Federal que investigue o preço das bebidas. A casa de shows não tem alvará da Prefeitura para funcionar, mas conta com um processo de anistia que libera as atividades, por um tempo, até que as irregularidades sejam sanadas. Nesta quarta-feira, a PM fará uma operação de revista nas ruas de acesso ao Sampa Hall.ProvidênciasEm nota, a empresa informou que está tomando medidas para solucionar os transtornos. Na segunda-feira, o preço dos ingressos aumentou: para as mulheres subiu de R$ 5 para R$ 15; e para os homens, de R$ 10 para R$ 30. No Orkut, clientes falam da violênciaNa comunidade oficial da casa de shows no Orkut, o quebra-quebra ocorrido há duas semanas virou motivo de comentários. Um dos tópicos da comunidade mais comentados nos últimos dias chama-se ´Sexta Feira Violenta´. Outro tem o sugestivo título de ´Euuu (sic) sobrevivi ao Sampa Hall Sexta´.Uma menina, menor de idade, relata que foi agredida e teve de levar três pontos na cabeça. Um outro jovem que se identificou como Leo disse que viu muita gente sangrando no banheiro.Para solucionar o problema da violência, muitos membros da comunidade sugerem que os preços da bebida e do ingresso aumentem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.