Casa do goleiro Bruno no Rio é usada para exploração sexual

No condomínio de luxo onde o atleta morava, no Recreio dos Bandeirantes, foram encontrados quatro mulheres e o agenciador delas, que foi preso

Solange Spigliatti, estadão.com.br

30 Setembro 2010 | 15h21

SÃO PAULO - A Polícia Civil do Rio apurou nesta quinta-feira, 30, uma denúncia de exploração sexual que estaria sendo feita na casa onde o goleiro Bruno Fernandes morava, em um condomínio de luxo, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio.

 

Segundo a polícia, no local foram encontrados quatro mulheres e o agenciador delas, que foi preso. Junto com Rafael Rodrigo Ferreira Lins, de 27 anos, foi apreendido munições calibre 40.

 

De acordo com a polícia, a casa, que foi alugada por Bruno anteriormente, foi alugada por Rafael, que a usava para atender os clientes das garotas de programa. O agenciador vai depor ainda nesta tarde.

 

Bruno e mais oito pessoas foram presas em julho de 2010, acusados de participação do desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-amante do jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.