Casagrande capota jipe e vai para UTI

Ex-jogador disse à polícia que misturou vinho e tranqüilizante; Cherokee voou e causou colisão com mais 4 carros

O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2024 | 00h00

O ex-jogador de futebol e comentarista esportivo Walter Casagrande Júnior, de 44 anos, capotou às 22h20 de sábado seu jipe Cherokee Sport na Rua Tito, na Lapa, zona oeste, provocando uma colisão com outros quatro carros estacionados. Segundo o boletim de ocorrência, Casagrande disse à polícia que tinha tomado tranqüilizante, por causa de tratamento médico, e ingerido "pequena quantidade de vinho". Ele vai responder por lesão corporal culposa (sem intenção). Internado em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, Casagrande passava bem ontem à noite. Ele não sofreu lesões internas e tinha apenas alguns hematomas. Vai hoje para um quarto comum, segundo seu médico, Artur Timerman. O ex-jogador estava acompanhado da namorada, Karine Vasconcellos, de 33, que teve fratura na quinta vértebra da coluna. Karine está com um colar cervical e seu estado é considerado bom. Não há previsão de alta para o casal. O boletim de ocorrência não mencionou a velocidade do veículo, ressaltando que as circunstâncias do acidente ainda serão apuradas. O Cherokee de Casagrande atingiu a traseira e a lateral de um Peugeot 206, estacionado na altura do número 831 da Rua Tito. O impacto da colisão foi tão grande que o Cherokee capotou em cima de um Corsa estacionado logo em frente. Os dois ainda atingiram um Fiat Uno, que, por sua vez, acertou a traseira de um Honda Civic. O Peugeot e o Corsa tiveram perda total. Socorridos pela Unidade de Resgate, Casagrande e Karine foram levados inicialmente para o Hospital das Clínicas. A Assessoria de Imprensa do HC informou que eles foram atendidos por volta da 1 hora. O ex-jogador se recusou a fazer qualquer tipo de exame ou ser medicado. A assessoria informou que ele estava "revoltado". Em seguida, Casagrande solicitou uma ambulância para transferir Karine para o Einstein. A assessoria do HC ressaltou que, quando a ambulância chegou, Casagrande levantou-se e foi embora para acompanhar a namorada. Conforme o único boletim médico divulgado pelo Einstein, ao meio-dia, Casagrande estava inconsciente, necessitando de assistência respiratória na UTI. Às 20 horas, porém, ele já tinha recobrado a consciência. "O Casagrande está bem melhor", disse Timerman. "Ele está aqui do meu lado, conversando normalmente." "Não ouvi freada, só um barulho grande. Quando olhei, vi o carro (Cherokee) voando por cima dos outros", disse o garçom João Luiz Almeida Brito, de 41 anos, dono do Uno, que estava trabalhando na cantina Brasiliani Bar & Forneria, em frente do local do acidente. "Meu carro não tem seguro. Moro em Osasco e quero ver como vai ficar meu transporte para casa." Apesar de lamentar o dano material, o garçom disse que poderia ter ocorrido uma tragédia. Isso porque, na hora do capotamento, havia uma festa na cantina e 30 pessoas estavam sentadas em mesas na calçada. O Cherokee ficou capotado a menos de 20 metros das mesas. Esta é a segunda vez que Casagrande fica na UTI do Einstein. Em dezembro, foi levado ao hospital após sentir dores no peito e desmaiar na rua. O diagnóstico foi de queda de pressão arterial e alteração do ritmo cardíaco. Ele teve alta após quatro dias. ALEXSSANDER SOARES e FABRÍCIO DE CASTRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.