Casais são presos em Caraguatatuba após praticarem assaltos

Dois casais foram presos na manhã desta quarta-feira em Caraguatatuba, no Litoral Norte Paulista, depois de praticar cinco assaltos. Eles fugiam por um acesso à rodovia dos Tamoios quando foram presos em flagrante. Oito viaturas com 20 policiais militares conseguiram deter os assaltantes que eram da capital, da favela de Heliópolis, e tinham alugado uma casa em Caraguatatuba para praticar os assaltos aos turistas. Os roubos foram feitos da virada do ano até esta quarta, período em que o Litoral Norte recebe cerca de 1,5 milhão de visitantes. Ao chegarem na cidade assaltaram dois turistas para pegar dois paragliders. Depois roubaram dois postos de gasolina e um quiosque. De carro, tentavam fugir quando foram interceptados. Os frentistas do posto reconheceram os casais, que acabaram confessando os crimes. Eles contaram, em depoimento à polícia, que saíram de férias em Caraguatatuba com o objetivo de praticar os assaltos. Todos já tinham passagem pela polícia. Com os casais, na casa alugada para a temporada de roubos, havia um homem que também tinha passagem por roubo e já havia cumprido a pena. A polícia investiga se a quadrilha tem envolvimento com um outro assalto, na manhã de segunda-feira, também em Caraguatatuba, no bairro Pontal Santa Marina. Neste roubo, 20 pessoas foram feitas reféns por cinco homens, em duas casas construídas no mesmo terreno. Armados com revólveres e pistolas, os bandidos entraram na casa, renderam as vitimas com ameaças e ainda amarraram quem estava no local com fios e fitas adesivas. A residência, que tinha reforçado sistema de segurança, era de um comerciante da cidade, que também foi feito refém. Munida de informações a quadrilha roubou cerca de R$30 mil, que estava guardado na casa. GalinheiroUm homem foi preso em Ilhabela, também no Litoral Norte Paulista, quando tentava esconder quatro armas em um galinheiro, no quintal da casa, no bairro Itaguaçu. Fernando Gomes de Almeida, de 28 anos, vai responder por porte ilegal de armas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.