Casal acusa pastor pelo sumiço do filho

A cozinheira carioca Marion Terra e seu marido, Carlos Terra, vivem um drama há um mês, desde que o filho caçula, Lucas, de 14 anos, desapareceu, possivelmente dentro de um templo da Igreja Universal da capital baiana, no bairro do Rio Vermelho. A 6ª Delegacia de Polícia de Salvador, que investiga o caso, requisitou ao Instituto Médico Legal de Salvador perícia para identificação de um corpo encontrado, parcialmente carbonizado, dois dias após o desaparecimento.Colaborador da Igreja Universal, Lucas teria sido visto pela última vez em companhia de um pastor conhecido como Sílvio, já ouvido e liberado pela polícia. É a ele que a família acusa. Marion e Carlos vêm reivindicando a realização do exame de DNA no corpo que se encontra no IML, mas o caso se arrasta há um mês.Na noite do dia 21 de março, o rapaz, que fazia curso de obreiro na Universal, recebeu ordem de acompanhar o pastor Sílvio até o templo do Rio Vermelho. "Lucas ligou para o pai às 22h10 daquele dia, dizendo onde e com quem estava", informou Marion. Depois disso, desapareceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.