Casal de fugitivos é preso depois de três anos

Quase três anos depois de fugir, um casal de estelionatários e falsificadores de documentos foi preso. O casal havia fugido usando alvarás de soltura falsos. A polícia demorou duas semanas para descobrir o fato. Roberto Hipólito Silveira, de 42 anos, e Joésia Patrícia dos Santos, de 24, foram detidos em Uberlândia, no sábado, após um juiz reconhecê-los em um supermercado e acionar a polícia. Silveira voltou para Dumont, de onde fugiu, mas foi encaminhado para a Cadeia Pública de Vila Branca, em Ribeirão Preto. Joésia voltou para o Presídio Feminino de Altinópolis.Silveira, advogado, saiu da cela especial da cadeia de Dumont às 19h30 de 25 de setembro de 1998, após a transmissão, por fax, de um alvará de soltura. Poucas horas depois, na madrugada do dia 26, ele próprio libertou Joésia, usando a mesma estratégia. Como, pelo horário avançado, não havia como fazer consulta no Fórum, os funcionários dos presídios os liberaram - se os documentos fossem verdadeiros e não os soltassem, poderiam ser processados por desobediência à Justiça. A fuga foi descoberta apenas em 9 de outubro daquele ano, quando o Fórum de Ribeirão Preto informou que não havia emitido os alvarás. Os documentos falsos tinham as características de um original, com informações digitadas e impressas por computador e assinatura de um juiz da 1ª Vara Criminal de Ribeirão Preto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.