Casal morre de intoxicação alimentar em Santos

A Polícia e a Vigilância Sanitária de Santos ainda não sabem informar com exatidão que tipo de alimento ocasionou a morte do casal de namorados Reginaldo Oliveira Fernandes Cristo, de 35 anos, e Patrícia Gasques, de 22, no último fim de semana. De concreto, familiares das vítimas informaram que o casal começou a passar mal depois de ingerir, na noite de quinta-feira, sanduíche natural de atum, consumido em um dos quiosques da orla. Mas informações paralelas dão conta que os namoradores teriam freqüentado, no mesmo dia, um restaurante situado na Avenida Ana Costa.Paralelamente à investigação que está sendo conduzida pelo 3º Distrito Policial, localizado na Ponta da Praia, técnicos da Vigilância Sanitária do município tentam fechar todas as informações relativas aos produtos consumidos pelo técnico em Eletrônica e pela estudante de Medicina do Centro Universitário Lusíada (Unilus), na noite de quinta-feira. No dia seguinte, o casal passou por hospitais e prontos-socorros da cidade, com queixa de mal-estar geral, vômitos e diarréia, num quadro característico de intoxicação alimentar. Parentes de Cristo relataram que o rapaz, que tinha boa saúde e um porte atlético, foi atendido inicialmente no Hospital Santa Clara, da Sociedade Portuguesa de Beneficência. Como não apresentasse melhora, recorreu ao Pronto-Socorro Municipal do Macuco, onde acabou indo a óbito na noite de sábado.A situação de Patrícia, cuja família mora na capital, não foi muito diferente. A jovem chegou a ser internada no Hospital Guilherme Álvaro e na Santa Casa de Misericórdia de Santos. Foi removida para o Hospital Príncipe Humberto, em São Bernardo do Campo, onde acabou falecendo, também na noite de sábado.InvestigaçãoEnquanto aguarda a liberação do laudo do Instituto Médico Legal de Santos, que fez a autópsia do rapaz, as Vigilâncias Sanitária e Epidemiológica buscam todas as informações possíveis sobre os locais freqüentados pelo casal, a fim de tentar barrar um possível foco de contaminação.Amostras de sangue e de partes do aparelho digestivo do técnico em Eletrônica serão encaminhados a São Paulo para exames mais específicos, que deverão apontar a bactéria responsável pela intoxicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.