Casal norte-americano não foi dopado, mostram exames

Os exames toxicológicos no sangue e vísceras do casal norte-americano Todd e Michelle Staheli deram resultado negativo para embriaguez, doping e envenenamento. Os peritos queriam saber se eles haviam sido dopados ou se tinham tomado remédios, drogas ou álcool. O casal foi atacado dia 30 de novembro, em casa, no condomínio Porto dos Cabritos, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.Para o perito Mauro Ricart, ex-diretor do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), o fato de os dois não terem sido dopados não significa que eles teriam condições de se defender do assassino. "Pela violência que eles sofreram, principalmente golpes na cabeça, não haveria tempo hábil para defesa", disse. Ricart acredita que o agressor pode ter ficado de um só lado da cama. O objeto usado seria grande o suficiente para ferir os dois sem que o criminoso tenha precisado passar para o lado de Michelle depois de agredir Todd, acredita o perito.Os possíveis vestígios de sangue encontrados no carro do motorista da família Staheli, Sebastião Moura, serão submetidos a uma contraprova ainda nesta segunda-feira. Caso seja sangue humano, as amostras serão levadas ao laboratório de DNA da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Lá, serão confrontadas com material colhido de Todd e Michelle.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.