Casas cinqüentonas e cheias de boas novas aos clientes

Quatro restaurantes da cidade festejam 50 anos com expansão dos negócios e lançamento de livro

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2008 | 00h00

Quatro restaurantes tradicionais estão comemorando o cinqüentenário com novidades para o público, que vão desde lançamento de um livro até a expansão dos negócios. Fazem parte do quarteto o grego Acrópole, que diverte os clientes ao permitir que se sirvam na cozinha, o Rodeio, churrascaria famosa pela picanha fatiada e o arroz birobiro, a Speranza, conhecida pela pizza napolitana de margherita, e o espanhol Don Curro, um especialista em paellas (arroz feito com açafrão, frutos do mar e frango). Apesar da dura concorrência do mercado, principalmente num pólo gastronômico como São Paulo, todas elas conservam uma clientela muito fiel às suas iguarias. Funcionando desde sempre no mesmo endereço, elas ainda passam uma sensação de conforto ao paulistano acostumado com uma cidade que muda tanto de paisagem. No Bom Retiro, no centro, por exemplo, Thassyvoulos Georgios Petrakis, de 91 anos, está todos os dias na frente de seu restaurante grego, o Acrópole, atraindo clientes. Ele faz isso há 50 anos. "Ei, ei, moças, vocês não vão entrar para comer?", diz ele a um grupo de belas mulheres que passa na rua. Dentro do restaurante, ele limpa as mesas, carrega pesadas bandejas de bebidas, organiza e ainda bate um rápido papinho com cada um dos clientes, que vêm de todos os cantos da cidade para comer a mussaká (berinjela, com batatas e carne moída), a maior atração de seus 30 pratos. "Os clientes pediram tanto que resolvemos inaugurar outro restaurante", diz Claudia Petrakis, de 36 anos, filha mais velha de Thassyvoulos, que resistiu inicialmente a idéia. Mas Claudia insistiu e a filial abre na terça-feira à noite, na Rua Haddock Lobo, nos Jardins, zona sul, num sobrado envidraçado, mais espaçoso que o salão do Bom Retiro - comporta 86 pessoas, divididas em dois ambientes. A semelhança com a sede fica apenas nas cores azul e branca das paredes. "Mandei um dos meus cinco cozinheiros para lá. A comida de lá será igual a daqui", diz Thassyvoulos. Nos Jardins, também haverá, por exemplo, o prato de carneiro, mas sai 15% mais caro que no Bom Retiro, como todos os outros pratos. Cláudia e a irmã Niqui assumem a filial e Thassyvoulos fica no centro. "É importante olhar para frente", diz Silvia Macedo, dona do Rodeio. "Não dá para viver só de tradição." Seguindo essa linha, Silvia resolveu comemorar o cinqüentenário da casa com o lançamento do livro Rodeio,Os Próximos 50 anos que aconteceu anteontem no restaurante, deixando o passado para trás. Mas o Rodeio marcou época. Foi ponto de encontro de políticos, durante o mandato do presidente Fernando Collor de Mello, e na época da Democracia Corintiana, comandada pelo publicitário Washington Olivetto, convidado nos anos 80 a ser vice-presidente do Marketing do clube, com participação dos jogadores Sócrates, Casa Grande e Vladimir. Outro cinquentão, o Dom Curro, em Pinheiros, ofereceu uma taça de champanhe aos clientes em novembro, presenteia com avental comemorativo e reformulou o layout do cardápio. A Pizzaria Speranza, com sede no Bexiga, no centro, abriu uma butique gastronômica no mês passado para festejar seus 50 anos. Servem conservas importadas, queijos e algumas das especialidades da casa preparadas na hora, como focaccia de alcachofra recheada com prosciuto parma (R$6,50), alici com creme de azeitona (R$6) e tomates frescos com mozarela de búfala (R$ 4,80). Há minicalzones com diversos recheios e saladas e muita coisa para levar para casa, caso dos panetones italianos . A casa ainda oferece uma pequena adega.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.